segunda-feira, janeiro 30, 2006

GERAÇÕES (Continuação)


Nós éramos mais a geração "à rasca", isso sim. Sempre à rasca de
dinheiro, sempre à rasca para passar de ano, sempre à rasca para
entrar na universidade, sempre à rasca para tirar a carta, para o pai
emprestar o carro.
Agora não falta nada aos putos.

Eu, para ter um mísero Spectrum 48K, tive que pedir à família toda
para se juntar e para servir de presente de anos e Natal, tudo junto.
Hoje, ele é Playstation, PC, telemóvel, portátil, Gameboy, tudo.

Claro, pede-se a um chavalo de 14 anos para dar uma volta de
bicicleta e ele pergunta onde é que se mete a moeda, ou quantos bytes
de RAM tem aquela versão da bicicleta.
Com tanta protecção que
se quis dar à juventude de hoje, só se conseguiu que
8 em cada dez putos sejam cromos.

Antes, só havia um cromo por turma. Era o totó de óculos, que levava
porrada de todos, que não podia jogar à bola e que não tinha
namoradas.

É certo que depois veio a ser líder de algum partido, ou gerente de
alguma empresa de computadores, mas não curtiu nada.

Hoje, se um puto é normal, ou seja, não tem óculos, nem aparelho nos
dentes, as miúdas andam atrás dele, anda de bicicleta e fica na rua
até às dez da noite, os outros são proibidos de se dar com ele... "
E-Mail enviado por Zoraida.

GERAÇÕES (Continuação)

Depois há toda uma série de situações pelas quais estes jovens não
passaram, o que os torna fracos: Ele nunca subiu a uma árvore! E
pior, nunca caiu de uma. É um mole. Ele não viveu a sua infância a
sonhar que um dia ia ser duplo de cinema. Ele não se transformava num
super-herói quando brincava com os amigos. Ele não fazia guerras de
cartuchos, com os canudos que roubávamos nas obras e que depois
personalizávamos. Aliás, para ele é inconcebível que se vá a uma
obra. Ele nunca roubou chocolates no
Pingo-Doce. O Bate-pé para ele é marcar o ritmo de uma canção.

Confesso, senti-me velho...

Esta juventude de hoje está a crescer à frente de um computador.
Tudo bem,
por mim estão na boa, mas é que se houver uma situação de perigo
real, em que tenham de fugir de algum sítio ou de alguma catástrofe,
eles vão ficar à toa, à procura do comando da Playstation e a gritar
pela Lara Croft.
Óbvio, nunca caíram quando eram mais novos. Nunca fizeram feridas,
nunca andaram a fazer corridas de bicicleta uns contra os outros.
Hoje, se um miúdo cai, está pelo menos dois dias no hospital, a levar
pontos e a fazer exames a possíveis infecções, e depois está dois
meses em casa a fazer tratamento a uma doença que lhe descobriram por
ter caído. Doenças com nomes
tipo "Moleculum infanticus", que não existiam antigamente.

No meu tempo, se um gajo dava um malho muitas vezes chamado de
"terno" nem via se havia sangue, e se houvesse, não era nada que um
bocado de terra espalhada por cima não estancasse.

Eu hoje já nem vejo as mães virem à rua buscar os putos pelas
orelhas, porque eles estavam a jogar à bola com os ténis novos.
Um gajo na altura aprendia a viver com o perigo. Havia uma hipótese
real de se entrar na droga, de se engravidar uma miúda com 14 anos,
de apanharmos tétano num prego enferrujado, de se ser raptado quando
se apanhava boleia para ir para a praia.
E sabíamos viver com isso.
Não estamos cá? Não somos até a geração que possivelmente atinge
objectivos maiores com menos idade?
E ainda nos chamavam geração "rasca"...

GERAÇÕES - Por Nuno Markl

A juventude de hoje, na faixa que vai até aos 20 anos, está perdida.
E está perdida porque não conhece os grandes valores que orientaram os que
hoje rondam os trinta. O grande choque, entre outros nessa conversa,
foi quando lhe falei no Tom Sawyer. "Quem? ", perguntou ele. Quem?!
Ele não sabe quem é o Tom Sawyer! Meu Deus... Como é que ele consegue
viver com ele mesmo? A própria música: "Tu que andas sempre descalço,
Tom Sawyer, junto ao rio a passear, Tom Sawyer, mil amigos deixarás,
aqui e além... " era para ele como o hino senegalês cantado em
mandarim.

Claro que depois dessa surpresa, ocorreu-me que provavelmente ele não
conhece outros ícones da juventude de outrora. O D'Artacão, esse
herói canídeo, que estava apaixonado por uma caniche; Sebastien et le
Soleil, combatendo os terríveis Olmecs; Galáctica, que acalentava os
sonhos dos jovens, com as suas naves triangulares; O Automan, com o
seu Lamborghini que dava curvas a noventa graus; O mítico Homem da
Atlântida, com o Patrick Duffy e as suas membranas no meio dos dedos;
A Super-Mulher, heroína que nos prendia à televisão só para a ver
mudar de roupa (era às voltas, lembram-se?); O Barco do Amor, que
apesar de agora reposto na Sic Radical, não é a mesma coisa. Naquela
altura era actual...
E para acabar a lista, a mais clássica de todas as séries, e que
marcou mais gente numa só geração: O Verão Azul. Ora bem, quem não conhece o
Verão Azul merece morrer. Quem não chorou com a morte do velho Shanquete, não
merece o ar que respira. Quem, meu Deus, não sabe assobiar a música
do genérico, não anda cá a fazer nada.

Casos de Sucesso Nacionais XXVII - NUNO MARKL

Após Vasco Santana,
António Silva,
Raúl Solnado,
e Herman José,
(entre outros)
eis o último herdeiro (já com os "Gato Fedorento" à espreita) do
Bom Humor Nacional!
Senhoras e Senhores
NUNO MARKL

sábado, janeiro 28, 2006

Casos de Sucesso Nacionais XXVI - JÚLIO ISIDRO



“A Febre de Sábado de Manhã” programa de rádio que esteve no ar três anos e que marcou um período de viragem na história dos media, comemora 25 anos. O formato do programa, a sua estrutura e objectivos e o estilo de apresentação transformaram-no num caso social cujos ecos ainda hoje se fazem sentir.

Tempos Modernos V - Duas Mães

"Há uns tempos, Teresa e Lena deram um beijo na rua e foram regadas com uma mangueira por um vizinho. Marisa, a filha biológica de Lena, nunca mais esqueceu a "humilhação" e só sonha com o dia em que as suas duas mães possam casar."

FDS - Imagens do Século XX - XLI

Rudolph Valentino (1895 - 1926)

Actor norte-americano, de origem italiana, de nome verdadeiro Rodolfo Pietro Filiberto Raffaello Guglielmi, nascido a 6 de Maio de 1895, em Castellaneta, e falecido a 23 de Agosto de 1926, em Nova Iorque, vitimado por uma peritonite. Foi o primeiro sex-symbol criado pelo cinema, tendo falecido quando se encontrava no auge da sua popularidade. Filho de um veterinário militar, abandonou a casa de seus pais com 17 anos para ir viver para a França e depois para os Estados Unidos. Aqui trabalhou como empregado de mesa e dançarino de tango. Foi na condição de bailarino que se estreou no cinema em My Official Wife (1914). Continuou a trabalhar em cinema, sempre em papéis secundários de personagens latinos. A sua grande oportunidade surgiu quando o realizador Rex Ingram confiou no seu carisma sexual para protagonizar The Four Horsemen of the Apocalipse (Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, 1921). O filme foi um sucesso e o magnetismo de Valentino cativou imediatamente o público feminino. Filmes como The Sheik (O Xeque, 1922), Blood and Sand (Sangue e Arena, 1922), The Eagle (A Águia, 1925), Cobra (1925) e The Son of the Sheik (O Filho do Xeque, 1926) confirmaram a sua fama e estatuto de primeira estrela de Hollywood. A sua morte inesperada provocou uma histeria colectiva entre as suas fãs, tendo comparecido ao seu funeral 80 mil mulheres.
In, Dicionário Porto Editora, Lda.

sexta-feira, janeiro 27, 2006

Teorias da Conspiração III

O Hamas conquistou a maioria absoluta nas legislativas palestinianas.
Sharon de fora, Hamas na liderança. O pretexto para a extinção do Estado da Palestina está perto.
E talvez não. Talvez o Hamas, agora no poder, surpreenda pela positiva, o mundo ocidental! Espero!

Teorias da Conspiração II

Transcrição do fax enviado com selo da Presidência do Conselho de Ministros e destinatário Fausto Correia.

«Na impossibilidade de o fazer pessoalmente, o Engº José Sócrates pediu-me para o contactar com urgência, para este fax privado na certeza de que o meu amigo compreenderá a necessidade de que esta mensagem não seja amplamente divulgada, pois destina-se apenas ao núcleo de pessoas do partido envolvidas na campanha do Soares. O que se passa é bastante grave e exige da nossa estrutura uma intervenção rápida e sigilosa.
A sondagem porque aguardávamos foi-nos entregue hoje de manhã e indica claramente uma derrota de Soares em relação ao Alegre, numa diferençaque ultrapassa os 5%, sendo que a margem de erro desta sondagem é de apenas 3%. Também nas últimas sondagens a publicar esta noite e amanhã pela comunicação social esta derrota é evidenciada. Por outro lado, a hipótese do Cavaco não ganhar logo à primeira volta existe e não está completamente afastada. Na sondagem do PS indica 51%, mas como a margem de erro é de 3%, e com a tendência de descida que se verificou, é muito provável que o Cavaco fique abaixo dos 50% obrigando a uma segunda volta, por uma muito pequena diferença de votos.
Neste caso, teríamos um cenário desastroso para o governo, para o PS e deixaria o Engº Sócrates numa posição fragilizada, ao ter avançado com a candidatura de Soares e ver-se depois obrigado a apoiar o Alegre para a segunda volta, sendo certo que este poderá recusar publicamente este apoio.
Assim, o pedido que tem sido dirigido apenas ao núcleo de apoiantes da candidatura do Soares é de que tentem influenciar as pessoas que estão mais próximas de vós, sempre pessoalmente, para que votem em branco, ou mesmo que votem no Cavaco, para assegurar que não haja segunda volta, e o governo não saia fragilizado desta eleição. O melhor argumento a apresentar é de que uma segunda volta, a existir, será um desperdício de verbas do orçamento, uma vez que as sondagens indicam que se não passar na primeira volta o Cavaco ganhará folgadamente contra o Alegre na segunda volta. Escusado será insistir na confidencialidade deste assunto».

É evidente que isto não passa de uma falsidade ardilosa. Mas não me admiraria e até, já nem me escandalizava, que uma qualquer situação análoga fosse verdadeira. É o "jogo da política" e num país onde impera o "chico espertismo" e segundo alguns autores, a "tuguice", não se pode exigir que os políticos sejam propriamente uns "anjinhos".

Como diria um ex-primeiro: "O que é que querem? É a vida!"

Casos de Sucesso Universal - MOZART


Wolfgang Amadeus Mozart

Wolfgang Amadeus Mozart, filho de Leopold Mozart, nasceu em Salzburg, a 27 de Janeiro de 1756. O jovem Amadeus demonstrou capacidades musicais desde tenra idade, sendo capaz de compor aos cinco anos de idade e, um ano mais tarde, foi convidado a tocar perante a imperadora da Aústria. O pai, apercebendo-se do talento divino do filho e da possibilidade de com ele trazer proventos até então inacessíveis à família, decidiu partir numa digressão que os levou a Paris e a Londres. A genialidade precoce de Mozart espantou audiências, sendo-lhe concedido o privilégio de tocar para as famílias reais de França e Inglaterra. Foi também nesta fase que começaram a ser publicadas as suas obras e que escreveu as primeiras sinfonias. A família Mozart só regressou a casa em 1766. Contudo, as viagens ao resto da Europa aconteciam com alguma regularidade. Assim, foi em Itália que Mozart escreveu as óperas Mitridate e Lucio Silla. Estas passagens por Itália permitiram-lhe o contacto com os estilos musicais italianos. Em 1773, Mozart visitou Viena, tentando fixar-se. Aí compôs alguns quartetos de cordas e, no regresso a casa, escreveu algumas sinfonias. Apesar de uma visita a Munique, por ocasião da estreia da sua ópera La Finta Giardiniera (1775), o período entre 1774 e 1777 foi passado na sua terra natal, ao serviço da família real, como Konzertmeister. Os seus trabalhos deste período abarcam missas, sinfonias, todos os Concertos de Violino, seis sonatas de piano e várias serenades e divertimentos, assim como o seu primeiro grande Concerto para Piano (K271).Em 1777, dada a escassez de oportunidades para um músico tão talentoso como Wolfgang, a família decide tentar a sua sorte noutros poisos. Wolfgang e a mãe partem para Munique e Manheim, mas não conseguiram um lugar para o jovem músico. O pai decide enviá-lo para Paris, onde ele consegue um relativo sucesso, especialmente à conta da Sinfonia Paris, n.º 31. Contudo, as perspectivas não melhoravam e regressa à Áustria. Antes disso, a mãe falecera em Paris. Até 1780, tocou na catedral e na corte de Salzburg, compondo peças de música sacra, sinfonias, concertos, serenades e música dramática. Todavia, a ópera continuava a ser a sua ambição primaz e surgiu uma oportunidade para a fazer em Munique. No final de 1780, partiu para a Alemanha e escreveu Idomeneo, conseguindo êxito imediato. Regressou ao seu posto na corte de Salzburgo mas, inflado pelo seu sucesso recente, desentendeu-se com o príncipe e despediu-se, ou foi despedido, em 1781. Mudou-se para Viena, na esperança de vir a conseguir um lugar na corte local. Apenas em 1787 conseguiu um lugar menor. Ainda assim, tinha uma salário razoável e o compromisso de escrever música para os bailes da corte. No entanto, depressa esbanjou a prosperidade financeira, com uma vida desregrada de desperdício. Casou em 1782 com Constanze Weber, a irmã mais nova de uma outra paixão antiga. Os primeiros anos em Viena marcam o incremento da sua popularidade como músico. Nesta fase, compôs os Seis Quartetos de Cordas que dedicou a Haydn. Em 1782, dedicou-se empenhadamente à composição de concertos para piano, para que pudesse ser reconhecido como compositor e solista. Até 1786, já tinha composto 15 peças nesse formato, alguns dos seus momentos mais brilhantes, caracterizados por mestria na forma e um envolvimento súbtil do piano com a orquestra. Em 1786 escreveu três óperas cómicas, com libretto de Lorenzo da Ponte. As peça Le Nozze Di Figaro (As Bodas De Fígaro), Don Giovanni e Cosi Fan Tutte transcendem a formatação da comicidade, tornando-se obras primas de Mozart. Da mesma forma, Die Zauberflöte (A Flauta Mágica) foi elevada ao estatudo de obra maior. Mozart viveu em Viena até ao fim dos seus dias. Realizou inúmeras viagens. Nesta fase, compôs a ópera La Clemenza Di Tito (1791), uma obra tradicional escrita para as cerimónias de coroação. Os trabalhos instrumentais desta época foram algumas sonatas para piano, três quartetos de cordas para o Rei da Prússia, alguns quintetos de cordas. As suas peças finais foram o Concerto para Clarinete e alguns trabalhos para casas maçónicas. A sua morte por doença, que levantou alguma polémica sobre um hipotético envenenamento, não lhe permitiu a conclusão do Requiem, o seu primeiro trabalho de grande escala para igreja, desde a Missa em Dó Menor (1783), também inacabada.
In, Dicionário Porto Editora, Lda.

terça-feira, janeiro 24, 2006

Casos de Sucesso Universal

Era com o som destas palavras que eu em miúdo corria rapidamente para escutar o programa dos Parodiantes de Lisboa, na rádio! Então ao Domingo, ao Almoço, ninguém me arrancava da mesa enquanto não ouvisse o episódio semanal da "Rádio Crime".
Um dos irmãos Andrade, os responsáveis pela criação dos Parodiantes, deixou-nos hoje!
Muito Obrigado Rui Andrade, pelos momentos inesquecíveis da minha infância!

segunda-feira, janeiro 23, 2006

SINAIS IV


Défice público pode ficar abaixo do previsto.
O «buraco» das contas públicas relativo a 2005 pode ficar abaixo dos seis por cento previsto no Orçamento de Estado para 2006 (OE 2006), segundo o Ministério das Finanças.

Ainda melhores Sinais!

SINAIS III

ECONOMIA
Os milhões estão a voltar.
1527 milhões em projectos sofisticados€5031 milhões avançaram no 1.º «pacote».
OS 12 grandes projectos de investimento viabilizados pelo Governo de José Sócrates já ultrapassam 6500 milhões de euros, o que corresponde a 4,8% do Produto Interno Bruto (PIB). No «pacote» dos projectos divulgados esta semana - que ascende a 1527 milhões -, três estão no sector do turismo (Costa Terra, Pinheirinho e Vidago-Pedras), um no mobiliário (IKEA), vários nas energias renováveis de biodiesel e bioetanol (Iberol, Torrejana, Enersys, Martifer, Tagol e Nutrinveste) e biomassa (Sonae, Caima e EDP). Um, o mais sofisticado, com capitais da Malásia (Agni), quer produzir componentes de pilhas; outro, a anunciar brevemente, pertence à petroquímica.
Mais Bons Sinais!

SINAIS II

HOMENS MAIS RICOS DO MUNDO INVESTEM EM PORTUGAL

Microsoft paga cursos tecnológicos nas Universidades do Minho, Aveiro e Beira InteriorNetjets tem 135 aviões registados em Portugal€ 1527 milhões em novos projectos sofisticados e € 5031 milhões já em curso.
OS dois homens mais ricos do mundo decidiram apostar em Portugal. Bill Gates vai patrocinar uma experiência-piloto com três universidades nacionais para a formação de jovens em tecnologias de informação, depois da Microsoft Portugal ter anunciado um programa de reconversão para 4.500 desempregados do sector têxtil. Warren Buffet, o segundo multimilionário americano, localizou a sede da sua empresa de jactos de luxo no concelho de Oeiras e registou toda a frota em Portugal.
Bons Sinais!

domingo, janeiro 22, 2006

PORTUGAL POLÍTICO

Viva o novo Presidente da República Português, Professor Doutor Cavaco Silva!
Eu sou um funcionário dos quadros especiais da Função Pública e mesmo assim estou de acordo com as políticas seguidas pelo governo do Eng. José Sócrates.
Como cidadão interessado na actualidade política nacional, segui com interesse o desenrolar dos resultados eleitorais e não posso deixar de registar como vergonhosas, as actuações do 1.º Ministro e das três estações de televisão nacionais. De todos os candidatos, só o que ficou em 2.º lugar, Dr. Manuel Alegre, não conseguiu que as suas declarações passassem em directo.
Este episódio, repito, vergonhoso, "carregado" de laivos de mesquinhez e vingança política, não abona em nada a imagem dos partidos políticos.
Sem dúvida um "belo" exemplo de cidadania dado aos portugueses, principalmente aos mais novos.

IRONIAS XXVI - Presidenciais


No Continente Americano, só um país terceiro mundista podia eleger um autóctone. E os descendentes dos colonos não se revoltam?
Quando elegerem um descendente Índio nos EUA, é o fim do mundo!

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Serviço Público - Divulgação Pedagógica


"Escrevo esta crónica em plena quadra natalícia, numa altura em que os homens, coitados, na sua pequenez de vista, acham que nós queremos receber jóias, um casaquito do Cavalli, um fim-de-semana numa linda pousada, um microondas para enfiarmos a cabeça lá dentro, etc., etc.
Nem estão enganados, os pobres. Mas o que nós queríamos mesmo, era homens que soubessem fazer um minete “comme il faut”. Eu explico. Estas almas penadas vieram ao mundo com um gene que lhes meteu na cabeça que fazer um bom minete é dado adquirido. Pois aqui vai uma notícia: não é! E o mais giro é que perguntando aos desgraçados dos meus amigos, “ex” e afins (o leque é grande e a probabilidade de acertar quase igual à da Eurosondagem), todos acham que fazem “o” minete. Extraordinário! Mas alguém se lembrou de perguntar às respectivas? Não. E todos continuam convencidos que são os “maiores” nesta lide particular. Burros. Ora, da mesma forma que nós – grandes falsas – esperneamos, dizemos, “ahhh, Sim, Huuuuuuuuuuuuuum!” e nos mexemos à “canal 18” para fingir um orgasmo durante o acto, o mesmo fazemos quando nos estão a meter a cara entre as pernas. Assumindo uma posição tipo “Dra. Ruth” – é o que me chama, no gozo, a minha editora –, arrisco dizer que 80 por cento dos homens fazem minetes como os São Bernardo lambem as vítimas perdidas na neve. Lambem, lambem… Sem saber porquê e onde. E nós fazemos o nosso papel, para os pobres coitados não ficarem cheios de complexos (de vez em quando, algumas ganham coragem e dizem “querido não te importas de fazer assim ou assado?”, mas ainda é raro). Depois, há 10 por cento que têm jeito prà coisa: um potencial elevado para um “minete-colibri” – bate as asinhas e “truca!”, acerta no alvo sem grandes lambidelas ou aparato. E, finalmente, vêm os abençoados, que já foram como os anteriores mas entretanto leram livros da especialidade e fazem os “minetes de oiro”. São os “meninos de oiro” – coisa rara nos dias que correm.
E mais uma vez os caracteres lixam-me a prosa – não as ideias. Mas não é por isso que ficam os senhores leitores sem uma ideia para uma prenda jeitosa para o Natal, daquelas que, uma vez aprendida, é só dar.
7anosdemausexo@oindependente.pt"

Transcrição integral do artigo de Ana Anes, na revista Vidas (suplemento do jornal “O Independente”) de 16 de Dezembro de 2005.

quarta-feira, janeiro 18, 2006

IRONIAS XXV - "Mérito Nacional"



"De acordo Com O Correio da Manhã, Maria Monteiro, filha do antigo ministro António Monteiro e que actualmente ocupa o cargo de adjunta do porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros vai para a embaixada portuguesa em Londres.
Para que a mudança fosse possível, José Sócrates e o ministro das Finanças descongelaram a título excepcional uma contratação de pessoal especializado.
Contactado pelo jornal, o porta-voz Carneiro Jacinto explicou que a contratação de Maria Monteiro já tinha sido decidida antes do anúncio da redução para metade dos conselheiros e adidos das embaixadas.
As medidas de contenção avançadas pelo actual governo, nomeadamente o congelamento das progressões na função pública, começam a dar frutos.
Os sacrifícios pedidos aos portugueses permitem assegurar a carreira desta jovem de 28 anos que, apesar da idade, já conseguiu, por mérito próprio e com uma carreira construída a pulso, atingir um nível de rendimento mensal superior a 9000 euros.
É desta forma que se cala a boca a muita gente que não acredita nas potencialidades do nosso país, os zangados da vida que só sabem criticar a juventude, ponham os olhos nesta miúda.
A título de curiosidade, o salário mensal da nossa nova adida de imprensa da embaixada de Londres daria para pagar as progressões de 193 técnicos superiores de 2ª classe, de 290 Técnicos de 2ª classe ou de 290 Assistentes Administrativos.
O mesmo salário daria para pagar os salários de, respectivamente, 7, 10 e 14 jovens como a Maria, das categorias acima mencionadas, que poderiam muito bem despedir-se, por força de imperativos orçamentais.
Estes jovens sem berço, que ao contrário da Maria tiveram que submeter-se a concurso, também ao contrário da Maria já estão habituados a ganhar pouco e devem habituar-se a ser competitivos.
A nossa Maria merece.
Também a título de exemplo, seriam necessários os descontos de IRS de 92
portugueses com um salário de 500 Euros a descontar à taxa de 20%.
Novamente, a nossa Maria merece."

e-Mail recebido por quase todos os meus amigos.

IRONIAS XXIV


Mário Soares diz que há "um grande nervosismo" na candidatura de Cavaco Silva.

E segundo as últimas sondagens, na de Mário Soares há calma a mais.

(In) Competência na Justiça Nacional

Mais um caso de contornos caricatos, neste conturbado processo, que demonstrou o seguinte: nos tribunais nacionais, percebe-se muito pouco de tecnologias modernas. E os poucos que percebem, ganham dinheiro vendendo as informações aos jornais.
Continua a saga da falta de formação e do "chico espertismo" nacionais.

terça-feira, janeiro 17, 2006

Mais Boas Notícias Nacionais


Ikea investe mais 470 milhões até 2015 em Portugal
O grupo sueco Ikea pretende investir até 2015 cerca de 470 milhões de euros na abertura de cinco novas lojas, dois centros comerciais e uma fábrica.
Afinal existe um ministro da economia.

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Casos de Mérito Nacional (e porque nem tudo são más notícias)


Câmara do Fundão leva livros e Internet a 80 povoações.
A partir de Fevereiro, duas viaturas vão levar, pelo menos uma vez por mês, livros e acesso à Internet a 80 povoações espalhadas pelas 31 freguesias do concelho do Fundão, um projecto estimado em cem mil euros.
Felizmente ainda vamos tendo estas boas notícias, fruto de iniciativas louváveis, como esta de Paulo Fernandes, da Câmara Municipal do Fundão.

Casos de Preocupação Nacional ou O Avanço da Barbárie



Militar da GNR ferido com um tiro de caçadeira.
O militar cumpria um mandado de busca para recolher provas relacionadas com furtos em veículos e residências. O suspeito destes furtos é filho do homem que feriu o soldado da GNR.

Será isto fruto do progresso ou antes um avanço da barbárie, provocado por uma cada vez maior desigualdade social, no país mais atrasado económicamente, da Europa a 15. O mesmo país onde a BMW e a Porche, registaram em 2005, os maiores aumentos percentuais de vendas, nessa mesma Europa. Ou estamos a assistir realmente à descivilização, que a Musikata referiu no artigo "Casos de Tristeza Nacional IV", citando Timothy Garton Ash (especialista em História Contemporânea) ?

IRONIAS XXIII



Galp Energia aumenta preço do gás em três por cento.
A Galp Energia vai aumentar em três por cento o preço do gás para os clientes domésticos e em quatro por cento para os industriais, já a partir de amanhã, anunciou hoje a petrolífera.

É justo!
Está de acordo com a percentagem proposta pelo governo, para os aumentos salariais deste ano.

sábado, janeiro 14, 2006

IRONIAS XXII

Jerónimo esgota Pavilhão Atlântico

Candidato presidencial apoiado pelo PCP reúne mais de vinte mil apoiantes.


Ou seja, todos os seus eleitores.

Fim de Semana - FOTOGRAFIAS

Crânio de nus de Dalí - 1950
Philippe Halsman
Doação Gruber

Fim de Semana - MITOS - Os sacrifícios Astecas

"O REINO CANIBAL"
"Na qualidade de carniceiros metódicos e bem treinados no campo de batalha e de cidadãos da terra da Inquisição, Cortés e os seus homens, que chegaram ao México em 1519, estavam acostumados a exibições de crueldade e derramamento de sangue. . . Contudo, não estavam exactamente preparados para o que encontraram no México. . . Em nenhuma outra parte do mundo se desenvolvera uma religião patrocinada pelo estado, cuja arte, arquitectura e ritual fossem tão completamente dominados pela violência, a decadência, a morte e a doença. . .
As narrativas de Cortés e Bernal Díaz não deixam lugar para dúvidas. . . Os Deuses Astecas comiam pessoas."
Mas após estudo mais aprofundado, o autor conclui que não eram os Deuses quem comia os sacrificados.
"A descrição de Bernardino De Sahagún deixa pouco espaço para dúvidas:
Depois de lhes terem arrancado o coração e vertido o sangue numa cabaça, que o senhor do homem morto recebia em pessoa, punham o corpo a rolar pelos degraus da pirâmide abaixo. Ele parava sobre um pequeno largo lá em baixo. Aí alguns velhos, a que chamavam Quaquacuiltin, apoderavam-se dele e transportavam-no para o seu templo tribal, onde o desmembravam e o dividiam para o comerem.
De Sahagún menciona-o repetidas vezes:
Depois de os terem morto e de lhes terem arrancado os corações, levavam-nos devagar, rolando-os pelos degraus abaixo. Quando chegavam ao fundo, cortavam-lhes as cabeças e trespassavam-nas com uma vara e levavam os corpos para as casas a que chamavam Calpulli, onde os dividiam para os comerem. (...) e arrancavam-lhes o coração e cortavam-lhes a cabeça. E mais tarde dividiam o corpo entre eles e comiam-no. (...)
Diego Durán dá-nos uma descrição semelhante:
Depois de o coração ter sido arrancado era oferecido ao Sol e o sangue era aspergido na direcção da divindade solar. À imitação do descer do Sol a oeste, o corpo era empurrado pelos degraus da pirâmide. Depois do sacrifício, os guerreiros celebravam um grande festim com muitas danças, cerimoniais e canibalismo.
(...) A Mesoamérica ficara no final do período glaciário numa condição de esgotamento . . . no que se refere a recursos animais (...)
Assim:
(...) Poderia a redistribuição de carne proveniente de vítimas sacrificiais ter melhorado significativamente o teor de proteínas e gorduras da dieta da nação Asteca (...)"

quinta-feira, janeiro 12, 2006

Casos de Preocupação Internacional - IRÃO


A "troika" europeia (Reino Unido, Alemanha e França) que está a acompanhar o programa nuclear do Irão defende a denúncia do caso ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, considerando que não há margem para negociações face à atitude "unilateral" de Teerão, que retomou esta semana as suas pesquisas nucleares.
Mais um conflito internacional a germinar.

Casos de Bom Senso Nacionais - Autoeuropa


Autoeuropa com aumentos previstos de 2,5%.
O pré-acordo da Autoeuropa hoje assinado pela administração e comissão de trabalhadores (CT) é um sinal de vitória dos trabalhadores, apesar dos aumentos serem os mesmos da proposta chumbada em Dezembro. Segundo o Jornal de Negócios soube, o documento prevê uma actualização salarial na casa dos 2,5%, com um mínimo de 30 euros por trabalhador.

Um bom exemplo nacional: bons gestores e boa comissão de trabalhadores!

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Casos de Tristeza Nacional IV - EMPURRADO

Sou formador num Centro de Formação Técnico Profissional, em Lisboa.
Ontem, numa aula, faltava um aluno - Bruno Alves. A meio da referida aula veio a triste notícia - " O Bruno não veio hoje e já não vem mais. Foi alvo de uma tentativa de roubo, resistiu e foi empurrado para a linha quando vinha a passar um comboio. O Bruno Morreu."

Apetecia-me dizer umas quantas coisas acerca do nosso modelo social actual, mas a revolta é tanta que vou guardar para outra ocasião.

As minhas condolências à família do Bruno.

terça-feira, janeiro 10, 2006

FADO


Ministro das Finanças diz que pode faltar dinheiro para pagar as reformas.

É a nossa sina. Com a riqueza criada após os Descobrimentos, vivemos "à grande", comprávamos tudo ao estrangeiro, não desenvolvemos o país. Com a riqueza criada com a Descoberta de ouro no Brasil, vivemos mais uns tempos "à grande", desenvolvimento, zero. Com os Fundos Comunitários, acreditámos num novo "Eldorado". Desenvolvimento criado com esses fundos, parece não ter havido; endividamento das famílias actualmente calculado em 113%, provocado por um fácil acesso ao crédito bancário nacional, que por sua vez se endivida na banca internacional; casas e carros novos como nunca se viu; pré reformas aos 50 anos de idade e nalguns casos menos; baixas fraudulentas; fraudes empresariais; administradores públicos com vencimentos superiores a 25.000€ mensais; população envelhecida e crescimento económico de quase 0% em três anos consecutivos.
Com isto tudo quem se vai "safando" parece ser a BMW. Isto tem de ter uma explicação!

Casos de Tristeza Nacional III


Seis crianças maltratadas por dia.
Relatório da IGS revela quadro negro na protecção de menores.
Tempo de espera após denúncias chega a ser de seis meses.
SEIS crianças são atendidas por dia nos hospitais e centros de saúde do país vítimas de maus tratos físicos e psicológicos, abuso sexual e negligência. Entre 2002 e 2004 foram 102 as instituições do Serviço Nacional de Saúde a receber 7033 crianças em risco. Um número que pode estar muito aquém da realidade, já que, segundo um relatório da Inspecção-Geral de Saúde (IGS) a que o EXPRESSO teve acesso, muitos hospitais não registam as crianças maltratadas que atendem e 48% assumem não ter normas de procedimento para atender vítimas de abusos sexuais.

Mas, nunca mais conseguimos deixar de ter estas notícias? Nunca mais conseguimos resolver isto? Afinal que país e que povo somos nós? Não conseguimos construir dez estádios de futebol num ápice? Não organizámos a Expo 98? Não nos unimos todos para chamar a atenção ao mundo para o caso de Timor Leste?
Então, mas então o que é que nos falta para vencer esta e outras batalhas, no sentido de sermos civilizados e prósperos?
Talvez comprar mais BMW's.
Para lá meter dentro as criancinhas!

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Imagens do Século XX - XXXVI - Moda Anos 60


Moda Anos 60

Os anos 60, acima de tudo, viveram uma explosão de juventude em todos os aspectos. Era a vez dos jovens, que influenciados pelas idéias de liberdade "On the Road" [título do livro do beatnik Jack Keurouac, de 1957] da chamada geração beat, começavam a se opor à sociedade de consumo vigente. O movimento, que nos 50 vivia recluso em bares nos EUA, passou a caminhar pelas ruas nos anos 60 e influenciaria novas mudanças de comportamento jovem, como a contracultura e o pacifismo do final da década.
Nesse cenário, a transformação da moda iria ser radical. Era o fim da moda única, que passou a ter várias propostas e a forma de se vestir se tornava cada vez mais ligada ao comportamento.

Post dedicado ao Seve!

domingo, janeiro 08, 2006

LUCIDEZ



«Corremos o risco de ser a Argentina da Europa»
O PRESIDENTE da «holding» SGC, está preocupado com a situação do país: «Andamos a viver num quadro de ilusão total. Se não falarmos verdade, o país não evolui. Precisamos de duas coisas: moralização e responsabilização. Senão o problema não é sermos a cauda da Europa - é falirmos. É sermos a Argentina da Europa».

Esta é que é a verdade! E a Argentina faliu devido à prática de uma política económica Ultra Liberal, sem controlo estatal e com níveis de corrupção e clientelas políticas elevadíssimos.

IRONIAS XXI



Cavaco promete não ficar calado contra clientelismo.
O candidato presidencial Cavaco Silva prometeu hoje fazer ouvir a sua voz contra a utilização do Estado por clientelas e renovou o apelo contra a abstenção.

Então é melhor encomendar já muitas embalagens de comprimidos para a garganta Professor, porque vai ter muito que gritar!

sexta-feira, janeiro 06, 2006

IRONIAS XX


Grupo BMW atinge recorde de vendas em Portugal em 2005.
O ano de 2005, primeiro ano de vida da mais recente subsidiária do BMW Group, a BMW Portugal Lda., irá ficar para a história como o melhor ano de sempre em Portugal para as marcas BMW e MINI, anunciou o grupo automóvel em comunicado.
A marca BMW registou um aumento de 51,9% das suas vendas face a 2004 e um volume de 8.117 unidades, assumindo-se como líder do chamado segmento Premium, em Portugal. Com 4% de quota do mercado nacional de automóveis de passageiros, a BMW subiu seis posições no «ranking» nacional no espaço de um ano: do 14º lugar que ocupava no final de 2004, passou a ser a 8ª marca mais vendida do mercado português.
As vendas totais do mercado português registaram um ligeiro aumento de 1,5%.

In, Jornal de Negócios on-line, 06-01-06.
Afinal o Santana tinha razão, ao afirmar que 2005 era o ano da viragem económica e que a qualidade de vida dos portugueses ia aumentar!

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Teorias da Conspiração



Ariel Sharon sofre derrame cerebral grave.
O primeiro-ministro israelita Ariel Sharon sofreu esta noite um “derrame cerebral grave” e está a ser submetido a uma operação cirúrgica num hospital em Jerusalém. Os seus poderes foram transferidos para o vice primeiro-ministro Ehud Olmert.
In, público.pt 04.01.2006

Sempre foi um dos mais radicais líderes israelitas, mas agora que estava a negociar concessões com os vizinhos muçulmanos, mesmo contra o seu próprio partido (Likud), logo agora foi acontecer isto ao homem!

quarta-feira, janeiro 04, 2006

Casos de Sucesso Nacionais XXVI ou IRONIAS XIX?

Durão é «quem realmente manda na Grã-Bretanha».
O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, foi eleito a "personalidade mais influente da Grã-Bretanha" pelos ouvintes da rádio BBC, com três vezes mais votos que o próprio primeiro-ministro, Tony Blair.
In, PortugalDiário, 2006/01/03.

Notícia enviada por Luís Martins.

terça-feira, janeiro 03, 2006

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Terceiro Mundo


A viagem de Moretto e do presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, entre São Paulo e Lisboa, ficou marcada por episódios de violência.

Continuamos a dar exemplos, ao nível dos países mais desenvolvidos do (3º) mundo.