segunda-feira, dezembro 29, 2008

ACERCA DOS VOTOS


Tradução Búlgaro-Português:

Indivíduo com a chávena: Diga-nos, senhora…?

O outro indivíduo: Petrova.

O da chávena outra vez: Sra. Petrova, porque razão acha que a deveríamos contratar?

Entrevistada: (com voz de gajo): Pá… o que é que tu queres saber?

Entrevistada: Vou comprar e vender. Porra, tou um bocado confusa, meu. O que se passa com minha voz? O que é que eu estou p’raqui a dizer? Mas que gaita é esta?

A entrevistada insiste: Tás a olhar para onde, ó careca?

O outro indivíduo: Desculpe?

A entrevistada: Vou saltar à cueca à tua mãe.

Voz-off: Se você não votar, está a deixar que outros falem por si. Vote! Acredite que faz a diferença.

Autora: Brites de Almeida, In http://reporter.clix.pt/tu-tubo/as-bulgaras.html

sábado, dezembro 27, 2008

NORMALIDADE 2

Lisboa: Urgências dos hospitais com afluência elevada, em alguns casos esperas chegam às 12 horas.

As urgências hospitalares estão a registar uma afluência muito elevada, com o Hospital Amadora-Sintra a registar um tempo de espera de 12 horas para os casos urgentes e muito urgentes e a prever que os menos graves só sejam atendidos sábado.

Também por aqui regressou a “normalidade”.

NORMALIDADE

Gaza: pelo menos 155 mortos em ataque israelita contra posições do Hamas

27.12.2008 - 11h09 PÚBLICO, Agências

Pelo menos 155 palestinianos morreram hoje num ataque aéreo do Exército israelita contra a Faixa de Gaza, avança a AFP citando a rádio Hamas. O chefe dos serviços de emergência em Gaza relata, por seu lado, a existência de mais de 200 feridos. Cerca de 30 mísseis israelitas, disparados a partir de bombardeiros F-16, atingiram complexos do Hamas, que controla Gaza desde o Verão de 2007.

Enfim. Regressou a “normalidade” àquela região do globo terrestre.

sexta-feira, dezembro 26, 2008

terça-feira, dezembro 16, 2008

SALVEM OS RICOS

AVISOS "À NAVEGAÇÃO"!

Mário Soares avisa que está a ser criado clima de desconfiança e revolta em Portugal
TSF On-line hoje às 07:15

Mário Soares afirma que em Portugal está a ser criado um clima de desconfiança e de revolta. O antigo presidente da República escreve, num artigo publicado esta terça-feira, no Diário de Notícias, que a actual crise está a generalizar-se na Europa e Portugal não deve ficar indiferente ao que se passa à sua volta.

Na Grécia um tiro de pistola de um agente da polícia sobre um jovem está a provocar o caos e a desordem há alguns dias. Por cá, as pessoas andam descontentes porque a crise não tem fim à vista, os chefes militares na reforma fazem cada vez mais avisos sobre o perigo da insubordinação e da revolta, que espreita a qualquer momento. Os avais concedidos pelo governo à banca não se reflectem nas empresas e nos trabalhadores, apenas nos accionistas, as alterações efectuadas ao código penal parecem feitas “à medida” para proteger VIP’s, a Demagogia (sistema de governo de alguns em prol de alguns) sobrepõe-se cada vez mais à Democracia (sistema de governo de alguns em prol de todos), o Neo-liberalismo financeiro tem pouco a ver com o Liberalismo económico e está a corroer o sistema economico-social dos países ocidentais desenvolvidos, etc., etc., etc.
Parece que todo este sistema está a precisar de uma nova “formatação”. Se for à força será certamente pior para toda a gente. Ou não!

domingo, dezembro 14, 2008

PORTAS

CDS-PP: Paulo Portas reeleito hoje líder do partido com 95,1 por cento dos votos

13 de Dezembro de 2008, 23:26

Lisboa, 13 Dez (Lusa) - Paulo Portas foi hoje reeleito líder do CDS-PP com 95,1 por cento dos votos, anunciou hoje o presidente da comissão organizadora das directas.

Paulo Portas, candidato único à liderança do CDS-PP, obteve 6.051 votos em 6.358 votantes, o que representa 95,1 por cento do total, tendo-se registado 307 votos brancos ou nulos.

Do universo eleitoral de 18.284 militantes, votaram 6.358, 31,42 por cento.

Para João Almeida, a percentagem de afluência às urnas esteve "acima das expectativas" e representa "uma prova de vida e de mobilização do partido".

A eleição decorreu entre as 15:00 e as 21:00.

SF. Lusa

Parabéns ao melhor Ministro da Defesa, que o país teve, desde o 25 de Abril!

quinta-feira, dezembro 11, 2008

AFINAL HAVIA OUTRA (PROPOSTA)

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL

COMUNICADO

1. Na sequência da decisão do Governo, no passado dia 4 de Dezembro, de proceder à actualização do suplemento de condição militar (SCM), vieram a público algumas notícias que questionam os valores que virão efectivamente a ser auferidos pelos militares das Forças Armadas.

2. Algumas daquelas notícias inserem-se numa campanha de desinformação que, de modo singular, tem vindo a ser desenvolvida à margem da deontologia profissional que deve presidir à função de informar, de uma forma séria e objectiva.

3. Importa desde logo sublinhar que, ao longo de todo o processo, o Governo tem trabalhado em estreita articulação com as chefias militares, e que a actualização do SCM constitui o resultado das reflexões e dos contributos que lhe foram apresentados pelas próprias chefias militares, tendo sido consensualmente reconhecido que o presente aumento do SCM vai no sentido da dignificação da carreira militar e da valorização da especificidade da condição militar.

4. Dado que têm sido feitas leituras díspares e, por vezes, propositadamente distorcidas sobre os valores reais que decorrem do aumento do SCM, julga-se útil esclarecer o seguinte:

a) a partir de 1 de Janeiro de 2009, a componente variável do SCM passará de 14.5% para 17.25%, calculados sobre a remuneração base que o militar aufere a 31 de Dezembro de 2008, a que acresce a actual componente fixa no valor de 30,17€;

b) a partir de 1 de Janeiro de 2010, o SCM passará de 17.25% para 20%, calculado sobre a remuneração base que o militar aufere a 31 de Dezembro de 2009.

5. Tomando como exemplo a situação de um Coronel/Capitão-de-Mar-e-Guerra, no primeiro escalão, o mais baixo do posto:

i) remuneração a 31 de Dez. 2008, com SCM, 3.249,69€;

ii) remuneração a 31 de Dez. 2009, com actualização SCM a 17.25%, 3.327,02€, mas sem actualizações salariais;

iii) remuneração a 31 de Dez. 2010, com actualização SCM em mais 2,75%, 3.404,34€, sempre sem actualizações salariais.

Aplicando esta mesma exemplificação ao posto de primeiro-sargento, também no primeiro escalão, chegaremos aos seguintes valores:

i) remuneração a 31 de Dez. 2008, com SCM, 1.487,42€;

ii) remuneração a 31 de Dez. 2009, com actualização SCM a 17.25%, 1.522,42€, mas sem actualizações salariais;

iii) remuneração a 31 de Dez. 2010, com actualização SCM em mais 2,75%, 1.557,42€, sempre sem actualizações salariais.

Aos valores acima referidos, acrescerão os montantes das respectivas actualizações salariais anuais e ainda os montantes que vierem a ser definidos na futura tabela remuneratória única, que entrará em vigor no próximo ano, e que passam a servir de base de cálculo para o valor do SCM. Neste contexto, aplicando apenas uma projecção da actualização salarial já anunciada, a valorização da remuneração, para o posto de Coronel/CMG, e para o ano de 2010, será de 253,38€, enquanto que para o posto de primeiro-sargento esse montante atingirá 115,17€.

6. O MDN reitera a sua determinação em prosseguir as reformas de fundo em curso que visam modernizar estruturas, adaptando-as aos novos riscos e desafios, e valorizando a carreira militar. O processo das reformas tem sido, e continuará a ser, desenvolvido em conjunto com as chefias militares e tendo como referencial os modelos que melhor servem as Forças Armadas e, acima de tudo, o interesse nacional.

Gabinete de Comunicação e Relações Públicas

Av. Ilha da Madeira, 1 - 1400-204 Lisboa

E-mail: gcrp@sg.mdn.gov.pt

Tel. nº: (351) 21 303 85 20 - Fax nº: (351) 21 301 95 55

terça-feira, dezembro 09, 2008

20%=250?^20%=157^2+2=3=Matemática Governamental

Defesa. Valorização do Subsídio da Condição Militar

Os coronéis vão receber 157 euros brutos por mês em 2010 com "a valorização" do Subsídio da Condição Militar (SCM) para 20% do seu salário-base, menos quase 100 euros do que os "250 euros" anunciados quinta-feira pelo ministro da Defesa.
Segundo os valores arredondados da proposta do Ministério da Defesa, a que o DN teve acesso e que circulam entre oficiais das Forças Armadas um coronel no primeiro escalão receberá mais 157 euros mensais em 2010, um sargento-mor mais 102 euros, um primeiro-sargento mais 71 euros e um soldado mais 47 euros.
Aqueles quatro postos serviram como exemplo "da valorização" do SCM - sem as actualizações salariais que ocorrerão em 2010 - dado pelo ministro Nuno Severiano Teixeira, na conferência de imprensa em que surgiu acompanhado pelos quatro chefes militares. Para o Ministério, o aumento do SCM iria representar "mais 250 euros mensais para um coronel, 163 euros para um sargento-mor, 155 euros para um primeiro-sargento e 47 euros para um soldado".
"Alguém enganou o ministro ou o ministro deixou-se enganar", declarou ontem ao DN o secretário da Associação dos Oficiais das Forças Armadas (AOFA), coronel Tasso de Figueiredo. "Pelas contas feitas, de forma grosseira e elementar, dá para perceber que era impossível chegar àqueles valores" avançados por Nuno Severiano Teixeira - e "rigorosamente muito inferiores ao aumento do SCM", acrescentou aquele oficial superior.
Recorde-se que Severiano Teixeira estimou em 34 milhões de euros o impacto na despesa pública ao longo dos próximos dois anos como resultado do acréscimo do SCM - o qual não ocorria desde 1999.
No caso dos coronéis, mesmo um militar dessa patente no último escalão (correspondente ao nível 55 da grelha remuneratória que entra em vigor a 01 de Janeiro de 2009) só receberá mais 176 euros mensais em 2010 do que agora - ainda "sem o IVA", frisou uma das fontes. No caso dos sargentos-mores, o último escalão (nível 32) dará mais 112 euros/mês, nos primeiros-sargentos (nível 20) mais 78 euros/mês e, nos soldados (nível 4), 33 euros mensais.
A discrepância - mais uma na área da Defesa, segundo a longa memória dos militares - entre o anunciado por Severiano Teixeira e os dados efectivos tem gerado nova onda de críticas, a exemplo do que sucedeu quando a tutela disse desconhecer (no final de Outubro) o mal-estar existente nas fileiras.
A exemplo dessa altura, assinalaram diferentes fontes, o poder político deixou novamente os quatro chefes numa posição delicada perante os subordinados. Contudo, a presença das chefias na cerimónia de quinta-feira foi vista por algumas fontes como uma forma de o ministro "dar a entender que a medida não resultou da pressão da rua", assim "salvando a face das instituições".
Manuel Carlos Freire, Diário de Notícias, 7 de Dezembro de 2008

segunda-feira, dezembro 08, 2008

VENDE-SE

CRISE FINANCEIRA NOS EUA
Negócios em tempo de crise
Vende-se sangue, óvulos, esperma e até cabelo

Os empréstimos, a queda das acções ou o desemprego são alguns dos motivos para que cada vez mais norte-americanos recorram à venda de tecidos e fluidos corporais para fazer dinheiro.
Luis Romero/AP, Expresso Online, 13:42, Segunda-feira, 8 de Dez de 2008
Está a aumentar o número de pessoas que dá sangue em troca de uma compensação económica
Aflitos por causa dos empréstimos, a queda das acções ou o desemprego, cada vez mais norte-americanos estão a utilizar um recurso a que nunca pensaram recorrer: os seus tecidos e fluidos corporais.
A venda de sangue, sémen, óvulos e até o cabelo tem crescido com força nos últimos meses nos Estados Unidos, onde várias agências afirmam que cada vez mais pessoas tentam vender o seu sémen ou óvulos, apesar de nem todas passarem nos rigorosos controlos.
Numa altura em que o número de norte-americanos que recebe o subsídio de desemprego alcançou no passado mês o recorde dos últimos 26 anos, o tráfico em sites como BloodBanker.com, especializado em informação sobre doações de sangue pagas aumentou 50 por cento este Outono.
O preço de uma doação de plasma pode atingir os 50 dólares nos Estados Unidos. Segundo a associação Plasma Protein Therapeutics, esta tendência começou em 2007, quando o número de doações cresceu até aos 15,3 milhões, contra os 10,3 milhões em 2003.
Mais rentável é a doação de esperma, com preços entre os 60 e os cem dólares por sessão. O banco de esperma Seattle Sperm Bank, no estado de Washington, garante que recebe actualmente uns 150 pedidos para doar, três vezes mais do que o habitual durante o período das festas.
Até o cabelo pode ser um negócio em alta nos tempos de crise. O site TheHairTrader.com, um dos principias espaços de venda de cabelo, revelou que recebeu mais de 20 por cento de visitas nos últimos dois meses.
"Estamos a trabalhar para pôr on-line uma nova página assim que seja possível, de forma a podermos responder ao aumento do tráfego, disse Jacalyn Elise, fundadora da TheHairTrader.com. Neste site, milhares de pessoas, geralmente mulheres, põem à venda o seu cabelo a preços que podem atingir os 2.000 dólares.
No Texas, a agência de doação de óvulos The Donor Solution afirma que cada vez recebe mais chamadas de candidatas a doadoras, apesar da maioria não cumprir os requisitos mínimos.
"Triplicou o número de pedidos para doação que recebemos por semana, mas são pessoas geralmente sem emprego, sem estudos, que não cumpre com os nossos requisitos", disse Mary Fusillo, directora da agência.
Mary Fusillo adiantou que muitas das mulheres que contactam com a empresa desconhecem que o processo de doação de óvulos é longo, complicado e implica que a mulher siga um tratamento hormonal.
Oficialmente, os óvulos não se pagam, mas as doadoras recebem uma compensação económica que oscila entre os 4.000 e os 6.000 dólares pelas deslocações e as horas de trabalho perdidas.

Preçário:
Sangue – 50$
Esperma – 60$ a 100$
Cabelo – Até 2000$
Óvulos – 4000$ a 6000$

sábado, dezembro 06, 2008

GERAÇÃO RASCA

video

FILHOS DE LILITH

Dias Loureiro e Jorge Coelho accionistas de gestora de um fundo financiado por fraude ao IVA

Público, 05.12.2008 - 20h43 António Arnaldo Mesquita, Cristina Ferreira, Vítor Costa
Manuel José Dias Loureiro e Jorge Coelho são accionistas da Valor Alternativo, uma sociedade anónima gestora que administra e representa o Fundo de Investimento Imobiliário Valor Alcântara, que foi constituído com imóveis adquiridos com o produto de reembolsos ilícitos de IVA, no montante de 4,5 milhões de euros. A Valor Alternativo e o Fundo Valor Alcântara têm a mesma sede social, em Miraflores, Algés, e os bens deste último já foram apreendidos à ordem de um inquérito em que a Polícia Judiciária e a administração fiscal investigam uma fraude fiscal superior a cem milhões de euros.O fundo de investimento foi constituído por três participantes, alegadamente envolvidos num esquema de fraude fiscal do sector das sucatas que tem como objectivo exigir do Estado a devolução indevida de montantes de IVA.Dias Loureiro, actual Conselheiro de Estado e ex-administrador de empresas no grupo Banco Português de Negócios, possui 30,5 por cento do capital da sociedade, através da DL Gestão e Consultores e Jorge Coelho, ex-dirigente do PS e ex-ministro, detém 7,5 por cento através da Congetmark. O accionista maioritário da Valor Alternativo é Rui Vilas, com 62 por cento. Vilas trabalhou na Fincor, a corretora que criou o Banco Insular em Cabo Verde e que foi comprada no início da década pelo Banco Português de Negócios.Contactado pelo PÚBLICO, Jorge Coelho afirma que aquela é uma “mera participação financeira”, desconhecendo tudo o que acontece na empresa. O contacto com Dias Loureiro não foi possível, até ao momento. Entretanto, a sociedade gestora enviou ao PÚBLICO um comunicado onde descreve os passos judiciais deste caso.
Já não há palavras para comentar ou descrever estas revelações demonstrativas de uma casta de “coisas” que nos andam a governar e a gerir há tempo demais.
Isto já não vai com palavras!

segunda-feira, dezembro 01, 2008

A LUTA DO CHERNE

SERÁ POSSÍVEL?

Congresso comunista

Jerónimo afirma que PCP será poder “quando o povo português quiser”
01.12.2008 - 14h46 Lusa
O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, que foi hoje reeleito pelo Comité Central secretário-geral do partido, insistiu numa "ruptura" com a "política de direita" do PS e afirmou que os comunistas serão poder "quando o povo português quiser", sem ficar "à espera de lugares oferecidos". (…)
(…) E disse que é com a "luta" dos portugueses que "se dará a ruptura e a mudança", numa "ampla frente social".
Essa "frente", afirmou, deve transformar "a oposição social em oposição política no apoio a uma força portadora de uma política e uma alternativa de esquerda - o PCP". "A nossa participação no poder será quando o povo português quiser e, quando o for, será sempre com base numa política de verdade", afirmou Jerónimo de Sousa num discurso de meia hora, minutos depois de ser aclamado de pé pelo congresso. (…)
Será que se estão a vislumbrar sinais de mudança na sociedade portuguesa?

GATOS INCÓMODOS

sexta-feira, novembro 28, 2008

MATEMÁTICA EM PORTUGAL


Relato de uma professora de matemática


Na semana passada comprei um produto que custou 1,58€.Dei à menina no balcão 2,00€ e peguei na minha bolsa 8 cêntimos, para evitar receber ainda mais moedas.A empregada de balcão pegou no dinheiro e ficou a olhar para a máquina registadora, aparentemente sem saber o que fazer.Tentei explicar que ela tinha que me dar 50 cêntimos de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.

Por que estou a contar isto?Porque me dei conta da evolução do ensino da matemática desde 1950, que foi assim:

1. Ensino da matemática em 1950:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por €100,00.O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda.Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por €100,00.O custo de produção desse carro de lenha é igual a 4/5 do preço de venda ou €80,00.Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por €100,00.O custo de produção desse carro de lenha é € 80,00.Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por € 100,00.O custo de produção desse carro de lenha é €80,00.Escolha a resposta certa, que indica o lucro:( )€ 20,00 ( )€40,00 ( )€60,00 ( )€80,00 ( )€100,00

5. Ensino de matemática em 2000:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por € 100,00.O custo de produção desse carro de lenha é € 80,00.O lucro é de € 20,00.Está certo?SIM ( ) NÃO ( )

6. Ensino de matemática em 2008:Um cortador de lenha vende um carro de lenha por €100,00.O custo de produção é € 80,00. Se você souber ler coloque um X no € 20,00.

( )€ 20,00 ( )€40,00 ( )€60,00 ( )€80,00 ( )€100,00


COMENTÁRIO: é mesmo isto que se passa nas escolas!!! Os nossos filhos estão a ser transformados em "cordeiros" mansos. Ignorantes!!! Os filhinhos da trupe política andam no PRIVADO e salvaguardam o seu futuro. E os nossos???
- Agora dizem que é anti-pedagógico obrigar a decorar...
Logo, não sabem a tabuada.
- Usam máquina de calcular desde o 1º ciclo (primária)...
Logo, não sabem a tabuada.

sábado, novembro 22, 2008

IMACULADAS VIRGENS!

Entrevista à RTP
Dias Loureiro: “Confiei que Oliveira e Costa estava a fazer bem”

21.11.2008 - 22h49 PÚBLICO, com Lusa

sexta-feira, novembro 14, 2008

AS FORÇAS ARMADAS NÃO O MERECEM! OS MILITARES NÃO O MERECEM!

Sempre que os militares fazem sentir de forma mais audível o seu descontentamento e mal-estar, surgem sempre umas figuras públicas dando enfoque nas mordomias que, segundo eles, os militares possuem. Não destrinçam entre generais e sargentos ou praças, não distinguem entre as posições das associações profissionais de militares e as posições deste ou daquele militar, vai tudo a eito. Nem procuram actualizar o seu conhecimento da realidade existente, partindo assim de ideias feitas para tecer os seus comentários. Alguns desses comentadores vivem, de facto, ociosamente e não se lhes vê qualquer gesto para contribuir para o bem público ou para a diminuição das desigualdades. Pregam para os outros aquilo que não praticam para si próprios. Dito isto, é preciso que fique claro que os problemas que afectam os militares e as forças armadas não se resolvem com insinuações ou ameaças. Tal forma de abordar os problemas só contribui para que se fale dos militares pela pior das razões: a suspeição. E não há razões para que exista qualquer suspeição! Basta para o efeito analisar os diversos comunicados públicos das associações e demais materiais por elas editados, coisa absolutamente ao alcance consultando os sítios net das respectivas estruturas.Há cerca de um ano as associações editaram um livro, no qual assinalam o conjunto de leis e outros normativos legais, objecto de incumprimento por parte dos sucessivos governos. Deste livro foram enviados exemplares a todos os órgãos de soberania, a todos os Grupos Parlamentares, a todos os partidos, foram até, nesse âmbito, solicitadas audiências, como aconteceu com o PCP. Ninguém pode dizer que não sabe! Mas foi isto que disse o Governo, pela voz do Secretário Estado da Defesa, colocando assim também em cheque os próprios Chefes Militares. Desde essa altura a exigência é a do cumprimento da lei – Cumpra-se a lei!, dizem as estruturas. E é a partir deste elemento base que tudo se desenvolve. Há um conjunto de leis que não são respeitadas e, ao mesmo tempo que tal sucede, novas medidas são tomadas cortando direitos e expectativas contempladas em leis que estão em vigor. Ora, se tal comportamento é inaceitável no relacionamento com qualquer sector de actividade, ganha uma especial gravidade no relacionamento com as forças armadas, onde os valores da frontalidade e da lealdade fazem parte da sua formação. Portanto, quando alguns falam de carros a mais, quartéis a mais, generais a mais, etc., etc., falam daquilo que não está em discussão e sobre as quais, como é óbvio, as associações nunca emitiram opinião que se conheça. Obviamente que qualquer pessoa têm todo o direito de considerar que tudo isso está a mais e até podem achar que as forças armadas não são necessárias. Mas mais, tem partido das próprias associações ao longo do tempo o desafio para que seja efectuada uma reflexão sobre as forças armadas – que forças armadas? Para que missões? Desafio que tem caído em saco roto.Neste quadro, é evidente que os militares têm razões para mostrar o seu descontentamento. E têm-no ainda mais quando o Governo, desde logo, desrespeita a lei que consagra o associativismo militar e que estipula a presença das associações em grupos de trabalho que tratem de matérias de índole socioprofissional. Portanto, temos um relacionamento do Governo para com os militares que ultrapassa a simples inabilidade e começa a roçar a humilhação. Isto é inadmissível! Dizem alguns que os militares não querem ser parte nos sacrifícios que o país enfrenta. Quem tal afirma não sabe do que fala e muitos desses fazem parte dos sacrificados, coitados, que ganham milhares por mês e vivem em condomínios fechados. Há nas forças armadas bons militares, como há maus militares. Haverá, quase certo, instalações a mais. Haverão situações de abuso, admite-se. Mas as generalizações só podem resultar numa profunda injustiça. Mas o cerne da questão é que o Governo não pode agir como tem agido, não pode retirar, pela porta do cavalo, direitos que estão consagrados nos Estatuto da Condição Militar e no Estatuto dos Militares das Forças Armadas. Se o quer fazer, então frontalmente coloque as necessárias alterações aos respectivos estatutos e não jogue ao jogo do rato e do gato. As forças armadas não o merecem! Os militares não o merecem!
Rui Fernandes, Responsável da DORAL do PCP in “Região Sul” Diário, 22:10 terça-feira, 11 Novembro 2008

segunda-feira, novembro 10, 2008

O MUNDO AO CONTRÁRIO


The job
Enviado por trescourt

FELIZARDO

PR: Associações sensibilizam Cavaco para pobreza, salientando que milhões de pessoas não têm uma refeição por dia.
10 de Novembro de 2008, 17:21
Lisboa, 10 Nov (Lusa) - Representantes de várias associações sensibilizaram hoje o Presidente da República para o fenómeno da pobreza, numa altura em que estimam que mais de mil milhões em todo o mundo não consigam ter uma refeição diária. (…)
(…) O Banco Mundial define a pobreza extrema como viver com menos de 1,25 dólares por dia. Todos os dias mais de mil milhões de pessoas vivem nestas condições de miséria deplorável. Em Portugal uma em cada cinco pessoas vive no limiar da pobreza.
VAM/HN./Lusa


Estou na lista dos 5/6, a nível mundial, que não vive na extrema pobreza e estou na lista nacional dos 4/5 que vive acima do limiar da pobreza. Tenho de concluir portanto que sou um felizardo.
A vida é bela!

sexta-feira, novembro 07, 2008

COMUNICADO!

NÃO CLASSIFICADO

MENSAGEM DO ALMIRANTE CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA: RELATIVAMENTE AHS NOTICIAS VINDAS A PUBLICO RESPEITANTES AO AMBIENTE QUE SE VIVE NA MARINHA, ESCLARECO QUE ESTOU, COMO SEMPRE, PERFEITAMENTE CIENTE DA MINHA RESPONSABILIDADE, DESIGNADAMENTE DO MEU DEVER DE TUTELA, E CONHECEDOR DOS ANSEIOS E DAS AMBICOES DOS MILITARES, CIVIS E MILITARIZADOS QUE NELA SERVEM, NAO RECONHECENDO A NINGUEM AUTORIDADE OU LEGITIMIDADE PARA COLOCAR EM CAUSA O SENTIDO DO DEVER QUE NORTEIA A MINHA ACCAO DE COMANDO. SEMPRE PUGNEI E CONTINUAREI A PUGNAR, NOS MOMENTOS E SEDES PROPRIAS,PELOS LEGITIMOS INTERESSES DOS QUE DE MIM DEPENDEM, MAS TAMBEM NAO PACTUAREI COM ACTOS DESTINADOS A MINAR A COESAO E A DISCIPLINA, E A DESTRUIR O QUADRO DOS PRINCIPIOS E VALORES EM QUE SE FUNDA A INSTITUICAO MILITAR E PELO QUAL REGEMOS OS NOSSOS COMPORTAMENTOS. EH NO RESPEITO PELAS INSTITUICOES E NA CONFIANCA NA HIERARQUIA QUE SE ENCONTRARAH O RESPALDO PARA O DEVIDO RECONHECIMENTO DA NACAO QUE ORGULHOSAMENTE SERVIMOS.
Data/Hora de Registo: 2008-11-07 09:00


Tradução:
Tenho de dizer isto para que os meus comandados pensem que eu transmito os seus problemas ao Governo e tenho de dizer isto para que o Governo pense que eu ainda tenho algum controlo sobre a situação.

quarta-feira, novembro 05, 2008

A NEW HOPE!

The world can be a better place to live. We can make it better. YES WE CAN!
Congratulations Mr. President! In your job We trust!

terça-feira, novembro 04, 2008

PAÍS IRREAL!

video

GNR procura entender suicídios de militares
TSF Online, Hoje às 09:51
A GNR vai tentar perceber os casos de suicídio entre os militares cometidos nos últimos cinco anos. Um trabalho que começa em Dezembro e que vai durar seis meses.


Se calhar estes militares estão-se a suicidar porque não sabem fazer Sobremesas e Saladas de Frutas!

ACORDEM-ME QUANDO ISTO FOR UM PAÍS A SÉRIO!

O REI VAI NU!

Público última hora - Informativo -Notícia 2008-11-04 19:09:00
Estado-Maior da Armada considera "falsas" acusações de sargentos sobre pagamentos em atraso"Na Marinha, os pagamentos dos suplementos e ajudas de custo encontram-se regularizados, pelo que são falsas as acusações referidas", lê-se no comunicado divulgado pelo gabinete do almirante Melo Gomes, que responde às acusações feitas na ontem pela comissão permanente da Armada da Associação Nacional de Sargentos (ANS).

NÃO! NÃO SÃO FALSAS DECLARAÇÕES! ACREDITEM EM MIM PORQUE EU NÃO MINTO!
São declarações verdadeiras, cujo conteúdo se quer omitir para continuar a "passar" uma imagem de que não existem problemas!
O "REI" VAI NU e os "CONDES" não lhe dizem nada, apesar das "chamadas de atenção" da plebe!
Blogador "dixit".

domingo, outubro 19, 2008

RUMORES

"Senhor Comandante cumpra connosco também!"


(...) Com o respeito devido ao Presidente da República - que é, também, o Comandante Supremo das Forças Armadas - Lima Coelho, da Associação Nacional de Sargentos, lembrou que "continuam por cumprir dezenas de diplomas legais respeitantes aos militares, o que, constituindo um verdadeiro atentado à Democracia, provocou o acumular de uma dívida crescente à família militar, já superior a mil milhões de euros". (...)
EVA CABRAL DN Online 18-10-08

sábado, outubro 18, 2008

DOS FRACOS NÃO REZA A HISTÓRIA!

Governo reduz pensões de antigos combatentes


João Pedro Henriques DN Online 18/10/08
Um documento oficial do Governo, ontem omitido pelo Executivo num debate parlamentar, afirma que 256 mil antigos combatentes da Guerra Colonial irão ver os seus complementos de pensão reduzidos.
A oposição criticou duramente a proposta. "Uma vergonha", disse o deputado Henrique Freitas (PSD). "Há ironias. Ontem discutimos 20 mil milhões para salvar os bancos. Hoje estamos a discutir três milhões de euros poupados à custa de antigos combatentes."


Militares protestam hoje em Lisboa contra reformas no sector

18.10.2008 - 08h57 Lusa - Público Online
A Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA), a Associação Nacional de Sargentos (ANS) e a Associação de Praças da Armada (APA) realizam hoje em Lisboa um encontro nacional "Pela Dignificação da Família Militar".
O protesto visa contestar os atrasos no pagamento das comparticipações de tratamentos médicos e de medicamentos, a falta de progressão de carreiras e a dívida à família militar, que segundo as associações já é superior a "mil milhões de euros".
Em conferência de imprensa realizada na quarta-feira, o presidente da ANS, António Lima Coelho, referiu que o Orçamento de Estado de 2009 prevê uma "redução em 30 por cento dos encargos com a Saúde" dos militares e "não contempla verbas" destinadas a "suprir a dívida", que inclui montantes relativos ao complemento de pensão de reforma, pagamentos a antigos combatentes, suplementos de reinserção e de residência.
De acordo com Lima Coelho, os militares vivem num clima de "enorme intranquilidade, mal-estar generalizado", o que poderá "afectar, de forma grave, a coesão das Forças Armadas".
A concentração está marcada para as 15h00, no Rossio, em Lisboa.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1346549&idCanal=30
http://dn.sapo.pt/2008/10/18/nacional/governo_reduz_pensoes_antigos_combat.html

terça-feira, outubro 14, 2008

A VERDADE!

Este senhor (Medina Carreira) anda a "pregar aos peixes" há uma data de anos e os "senhores da política" não fazem o que ele diz porque têm "clientelas" para satisfazer.

Não fazer o que ele diz significa atrasasarmo-nos cada vez mais em relação aos paises europeus mais desenvolvidos.

Mas quem vota são os portugueses e como diz o ditado popular: "Cada um deita-se na cama que faz!".

segunda-feira, outubro 13, 2008

MUDAM-SE OS TEMPOS, MUDAM-SE AS OPINIÕES!

video

Jean-Bedel Bokassa

Militar e ditador da República Centro-Africana nascido em 1921 e falecido em 1996. Como oficial do exército francês, combateu na Guerra da Indochina, onde se destacou. Após a independência do seu país, tornou-se o comandante das Forças Armadas. Em 1966 derrubou o presidente David Backo e instituiu um regime de repressão e violência que durou até 1979. Em 1977 proclamou-se imperador. Forçado a exilar-se, Bokassa regressou ao país em 1986, sendo condenado à morte por homicídio mas libertado em 1993.

Jean-Bedel Bokassa. In Diciopédia X [DVD-ROM]. Porto : Porto Editora, 2006. ISBN: 978-972-0-65262-1

SAVED BY THE BELL!

segunda-feira, outubro 06, 2008

DEFESA VIRTUAL


Resposta à manchete do Correio da Manhã.
Defesa: Ministério garante que pagamento de salários não está em causa
O Ministério da Defesa garantiu hoje que "não está nem nunca esteve em causa" o pagamento dos salários nas Forças Armadas, em resposta à manchete do Correio da Manhã, que adianta não existir dinheiro para os ordenados.
(…) Para esta "ruptura financeira" terá contribuído, segundo o jornal, a "desorçamentação em 2008, uma medida que o Ministério das Finanças usa para controlar as despesas nas Forças Armadas".
Lusa, In Público 06.10.08


Cavaco Silva e António Guterres nunca souberam o que fazer com as Forças Armadas Portuguesas; José Sócrates continua no mesmo caminho. Para estes políticos a expectativa reside na integração das nossas FA’s numas futuras FA’s da Europa ou EUROFORCE, “sacudindo” dessa forma um assunto para o qual não têm vocação nem estão minimamente interessados em gerir.
Entretanto vamos fingindo que temos FA’s modernas!

domingo, outubro 05, 2008

5 de Outubro de 1910 - Uma Nova Bandeira


O Significado da Bandeira Nacional:
A bandeira tem um significado muito mais obscuro que o tradicionalmente aceite. Dizia-se durante o Estado Novo, o regime Nacionalista e autoritário que governou o País de 1933 até 1974, que o verde representava as florestas de Portugal e que o vermelho representava o sangue dos que tinham morrido ao serviço da Nação. Esta definição das cores é hoje aceite com variações, no entanto o significado original é muito mais obscuro. As cores da bandeira derivam da do Partido Republicano Português (PRP): o vermelho é uma das cores tradicionais do Federalismo Ibérico, uma ideologia Socialista Republicana muito comum no início do século XX e que defendia a união política entre Portugal e Espanha; o verde era a cor que, segundo Auguste Comte, teórico do positivismo (doutrina filosófica muito cara aos mentores do PRP, designadamente Teófilo Braga), convinha aos homens do futuro, isto é, aos positivistas.
No seu centro, acha-se o escudo de armas portuguesas (um desenvolvimento da antiga bandeira dos reis), sobreposto a uma esfera armilar (a qual veio substituir a coroa da velha Bandeira da Monarquia Constitucional), que representava o Império Colonial Português e as descobertas feitas por Portugal.

Bandeira da República Portuguesa, In Símbolos Portugueses, em: http://www.simbolosportugueses.com

Republicação - Generais Frouxos

Há uma passagem no discurso em que o orador afirma que "os que podem fazer alguma coisa (Generais), não o fazem porque recebem Gratificações Chorudas".

É a grande verdade: No Brasil e em Portugal, a realidade é a mesma!

terça-feira, setembro 30, 2008

A MÃO DO SENHOR


Soube-se no passado dia 27 de Agosto, pelo Público, que a jovem e distinta advogada Vera Sampaio (terminou o curso com média de 10 val) com uma carreira de “dezenas de anos e larga experiência” foi contratada como assessora pelo membro do Governo, Senhor Doutor Manuel Pedro Cunha da Silva Pereira, distinto Ministro da Presidência....
Como a tarefa não é muito cansativa foi autorizada a continuar a dar aulas numa qualquer universidade privada onde ganha uns tostões para compor o salário e poder aspirar a ter uma vidinha um pouco mais desafogada.
O facto de ser filha do Senhor Ex-Presidente da República das Bananas que também dá pelo nome de Portugal, não teve nada a ver com este reconhecimento das suas capacidades. Nada! Juro pela saúde do Sr. Engenheiro Sócrates.
Há famílias a quem a mão do Senhor toca com a sua graça. Ámen. Já agora, como se devem recordar, ainda relativamente a esta família, soube-se há tempos que o filhote, depois de se ter formado, foi logo para consultor da Portugal Telecom, onde certamente porá “toda a sua experiência” ao serviço de todos nós.
Agora, como já ontem se disse, calhou a sorte à maninha e lá vai ela toda lampeira em part-time para o desgoverno, onde certamente porá também “toda a sua experiência” ao serviço de todos nós.
O papá para não fugir à regra, depois de escavacar uns bons centos de milhares de euros nossos na remodelação do um palacete ali para os lados da Ajuda, onde instalará um gabinete, vai ser transportado pelo nosso carro, com o nosso motorista e onde certamente, para não fugir ao lema familiar, porá, de novo, toda a sua experiência ao serviço de todos nós. Agora, foi nomeado Administrador da Gulbenkian...
Tudo isto, por mero acaso, se passa num sítio mal frequentado que se chama PORTUGAL, onde um milhão e duzentas mil pessoas vivem com uma reforma abaixo dos 375 Euros por mês. Parece mentira, não parece?

Nota: Texto enviado por e-mail.

quinta-feira, setembro 25, 2008

KEYNES, SMITH E MARX.

"Liberalismo económico - As teses do liberalismo económico foram criadas no século XVIII com clara intenção de combater o mercantilismo, cujas práticas já não atendiam às novas necessidades do capitalismo. O pressuposto básico da teoria liberal é a emancipação da economia de qualquer dogma externo a ela mesma.
O criador da teoria mais aceite na economia moderna, nesse sentido, foi sem dúvida Adam Smith.
Adam Smith, economista e filósofo escocês (1723-1790) é o pai da economia moderna, e é considerado o mais importante teórico do liberalismo económico. Autor de "Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações", a sua obra mais conhecida, e que continua a ser uma referência para gerações de economistas, na qual procurou demonstrar que a riqueza das nações resultava da actuação de indivíduos que, movidos apenas pelo seu próprio interesse (self-interest), promoviam o crescimento económico e a inovação tecnológica.
Smith acreditava que se deveria deixar a iniciativa privada agir livremente, com pouca ou nenhuma intervenção governamental. A competição livre entre os diversos fornecedores levaria forçosamente não só à queda do preço das mercadorias, mas também a constantes inovações tecnológicas, no intuito de baixar os custos de produção e vencer os competidores.
Analisou a divisão do trabalho como um factor evolucionário poderoso a propulsionar a economia. A frase mais famosa de Adam Smith versa o seguinte: "Assim, o mercador ou comerciante, movido apenas pelo seu próprio interesse egoísta (self-interest), é levado por uma mão invisível a promover algo que nunca fez parte do interesse dele: o bem-estar da sociedade." Como resultado da actuação dessa "mão invisível", o preço das mercadorias deveria descer e os salários deveriam subir.

Neoliberalismo – É a doutrina económica que defende a absoluta liberdade de mercado e uma restrição à intervenção estatal sobre a economia, só devendo esta ocorrer em sectores imprescindíveis e ainda assim num grau mínimo.

Economia Keynesiana - O objectivo de Keynes (1883-1946), ao defender a intervenção do Estado na economia não é, de modo algum, destruir o sistema capitalista de produção. Muito pelo contrário, segundo o autor, o capitalismo é o sistema mais eficiente que a humanidade já conheceu (incluindo aí o socialismo). O objectivo é o aperfeiçoamento do sistema, de modo que se una o altruísmo social (através do Estado) com os instintos do ganho individual (através da livre iniciativa privada).
O ciclo de negócios segundo Keynes ocorre porque os empresários têm "impulsos animais" psicológicos que os impedem de investir a poupança dos consumidores, o que gera desemprego e reduz a procura efectiva novamente, e por sua vez causa uma crise económica. A crise, para terminar, deve ter uma intervenção estatal que aumente a procura efectiva através do aumento dos gastos públicos.

A mais importante Agenda do Estado não está relacionada com actividades que os indivíduos particularmente já realizam, mas às funções que estão fora do âmbito individual, àquelas decisões que ninguém adopta se o Estado não o faz.

Para o governo, o mais importante não é fazer coisas que os indivíduos já fazem, é fazê-las um pouco melhor ou um pouco pior, mas fazer aquelas coisas que actualmente deixam de ser feitas. (John Maynard Keynes, The end of laissez-faire).

A escolha não deve ser se o estado deve ou não estar envolvido (na economia), mas como ele se envolve. Assim, a questão central não deve ser o tamanho do estado mas as actividades e métodos do governo. Países com economias bem sucedidas têm governos que estão envolvidos num amplo espectro de actividades. (Joseph Stiglitz, More instruments and broader goals...)

Keynes nunca defendeu a estatização da economia, nos moldes em que foi feita na União Soviética. O que Keynes defendia, na década de 1930, e que hoje Stiglitz e os novos desenvolvimentistas defendem é uma participação activa de um Estado enérgico nos segmentos da economia que, embora necessários para o bom desenvolvimento de um país, não interessam ou não podem ser atendidos pela iniciativa privada.
As suas ideias e as dos seus seguidores foram adoptadas por vários governos ocidentais e por muitos governos do denominado "terceiro mundo". Constituem, até hoje, a essência da política económica mantida nos Estados Escandinavos, cujas populações desfrutam dos melhores padrões de vida do mundo. A sua influência começou a diminuir a partir dos anos 70 com a ascensão dos monetaristas, provocada pela crise do dólar norte-americano de 1971, durante o governo Nixon, quando os Estados Unidos se viram obrigados a interromper a conversibilidade do dólar em ouro, mas ressurge depois de 1986 com a publicação do teorema de Greenwald-Stiglitz e o surgimento dos economistas novo-keynesianos."

http://pt.wikipedia.org/wiki/Keynes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Adam_smith
http://www.pensamentoeconomico.ecn.br/economistas/john_maynard_keynes.html
http://www.pensamentoeconomico.ecn.br/economistas/adam_smith.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Capital


Nota do autor: Karl Marx (1818-1883), economista, sociólogo e filósofo, previu que o sistema económico capitalista estava condenado ao colapso e o país onde esse colapso aconteceria seria nos EUA, através da Revolução Socialista do Proletariado. Essa Revolução veio a acontecer mas na Rússia.
Ironicamente, o colapso económico dos EUA só não vai acontecer devido à intervenção do Estado, esse “monstro” que os Liberais e Neoliberais económicos tanto detestam!

quarta-feira, setembro 24, 2008

DEMOCRACIA VS DEMAGOGIA - 2

PARA QUE A PLEBE SAIBA:

Fernando Nogueira:
Antes -Ministro da Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do BCP Angola
José de Oliveira e Costa:
Antes -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora -Presidente do Banco Português de Negócios (BPN)
Rui Machete:
Antes - Ministro dos Assuntos Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do BPN; Presidente do Conselho Executivo da FLAD
Armando Vara:
Antes - Ministro adjunto do Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do BCP
Paulo Teixeira Pinto:
Antes - Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de 3 anos de 'trabalho',
Saiu com 10 milhões de indemnização!!! e mais 35.000€ x 15 meses por ano até morrer...)
António Vitorino:
Antes -Ministro da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da PT Internacional; Presidente da Assembleia Geral do Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como comentador RTP)
Celeste Cardona:
Antes - Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da CGD
José Silveira Godinho:
Antes - Secretário de Estado das Finanças
Agora - Administrador do BES
João de Deus Pinheiro:
Antes - Ministro da Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA do Banco Privado Português.
Elias da Costa:
Antes - Secretário de Estado da Construção e Habitação
Agora - Vogal do CA do BES
Ferreira do Amaral:
Antes - Ministro das Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante de Vila Franca de Xira à Lusoponte)
Agora - Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o contrato.
Etc...
O que é isto? Não, não é a América Latina, nem Angola.
É Portugal no seu esplendor.
Cunha? Gamanço?
...e depois este ESTADO até quer que se declarem as prendas de casamento e o seu valor.
Haja saúde para todos. Viva Portugal!
Nota: Texto enviado por e-mail.

terça-feira, setembro 23, 2008

DEMOCRACIA VS DEMAGOGIA

"Perante a catástrofe iminente, aqueles mesmos que reclamavam, há poucos meses, menos Estado, mais privatizações, recorrem agora ao Estado, com total desfaçatez, isto é: ao dinheiro dos contribuintes. Privatizam-se os lucros e socializam-se os prejuízos - essa parece ser agora a regra."
Mário Soares, "Diário de Notícias", 23-09-2008

A forma de governo instituída nos países desenvolvidos é a DEMOCRACIA – sistema em que uns quantos governam, em prol de todos.
Existe uma corrente filosófico-social que prenuncia a próxima forma de governo como a DEMAGOGIA – sistema em que uns quantos governam em prol de si próprios e do grupo restrito de interesses que os rodeia.

Bem-vindos ao novo sistema de governação!

segunda-feira, setembro 22, 2008

APALPA-ME AS MAMAS!

Sócrates no comício em Guimarães.
Assegura que socialistas vão manter rumo traçado para o país.
O secretário-geral do PS, José Sócrates, assegurou hoje que os socialistas vão prosseguir no rumo traçado para promover o desenvolvimento do país, num discurso em que atacou a esquerda e a direita por nunca terem apoiado o Governo.
Lusa/SIC Online

Consta que durante o discurso do pretenso engenheiro, ouviu-se uma voz feminina a gritar: “Apalpa-me as mamas, apalpa-me as mamas! É que eu gosto que mas apalpem quando me estão a fornicar!”

quarta-feira, setembro 17, 2008

GLORIA PATRI



Uma água engarrafada nos Açores que simbólicamente denota o sentimento de uma minoria de cidadãos deste arquipélago nacional.
Sentimento que não é de todo descabido tendo em atenção o esquecimento e o abandono de que foram vítimas os cidadãos açorianos durante o período de vigência do regime político do Estado Novo.

domingo, setembro 07, 2008

NOVIDADE!

"Negócios entre gabinetes ministeriais e grupos económicos favorecem corrupção.
Pacheco Pereira in JN, 07 Setembro de 2008.
O militante social-democrata e professor universitário Pacheco Pereira alertou para os negócios discutidos directamente entre os gabinetes ministeriais e os grupos económicos, sem escrutínio parlamentar ou público, considerando que favorecem a corrupção."

Ora cá está uma notícia de que ninguém estava à espera. Sobretudo em Portugal!

sexta-feira, agosto 08, 2008

ASSALTO

Assaltantes do BES recusaram-se a negociar com a polícia e ameaçaram executar reféns.
Público online 08.08.2008 - 15h37 Cláudia Bancaleiro, Paula Torres de Carvalho

Parabéns às polícias portuguesas pelo brilhante resultado obtido na defesa dos reféns. Com este desempenho mostrámos ao mundo que estamos na 1.ª linha de segurança neste tipo de situações; se fosse na Rússia matavam-se criminosos e reféns.
Isto evidencia igualmente que o desempenho dos nossos “Recursos Humanos” não é inferior ao de outros países, é preciso é investir na formação das pessoas e nos meios técnicos ao seu dispor.
Tal com diz Mário Crespo, que eu cito no post anterior, eu digo: se os PARASITAS portugueses retirassem 10% ao seu ordenado e esse dinheiro fosse reencaminhado para outras áreas, poderíamos, por exemplo, ver este tipo de desempenho policial a todos os níveis.

quinta-feira, agosto 07, 2008

Citações - "IMAGINEM"

IMAGINEM
Mário Crespo, JN, Opinião,2008-08-04

"Imaginem que todos os gestores públicos das setenta e sete empresas do Estado decidiam voluntariamente baixar os seus vencimentos e prémios em dez por cento. Imaginem que decidiam fazer isso independentemente dos resultados.

Se os resultados fossem bons as reduções contribuíam para a produtividade. Se fossem maus ajudavam em muito na recuperação. Imaginem que os gestores públicos optavam por carros dez por cento mais baratos e que reduziam as suas dotações de combustível em dez por cento.

Imaginem que as suas despesas de representação diminuíam dez por cento também. Que retiravam dez por cento ao que debitam regularmente nos cartões de crédito das empresas. Imaginem ainda que os carros pagos pelo Estado para funções do Estado tinham ESTADO escrito na porta. Imaginem que só eram usados em funções do Estado.

Imaginem que dispensavam dez por cento dos assessores e consultores e passavam a utilizar a prata da casa para o serviço público. Imaginem que gastavam dez por cento menos em pacotes de rescisão para quem trabalha e não se quer reformar. Imaginem que os gestores públicos do passado, que são os pensionistas milionários do presente, se inspiravam nisto e aceitavam uma redução de dez por cento nas suas pensões. Em todas as suas pensões. Eles acumulam várias. Não era nada de muito dramático. Ainda ficavam, todos, muito acima dos mil contos por mês.

Imaginem que o faziam, por ética ou por vergonha. Imaginem que o faziam por consciência. Imaginem o efeito que isto teria no défice das contas públicas. Imaginem os postos de trabalho que se mantinham e os que se criavam. Imaginem os lugares a aumentar nas faculdades, nas escolas, nas creches e nos lares. Imaginem este dinheiro a ser usado em tribunais para reduzir dez por cento o tempo de espera por uma sentença. Ou no posto de saúde para esperarmos menos dez por cento do tempo por uma consulta ou por uma operação às cataratas.

Imaginem remédios dez por cento mais baratos. Imaginem dentistas incluídos no serviço nacional de saúde. Imaginem a segurança que os municípios podiam comprar com esses dinheiros. Imaginem uma Polícia dez por cento mais bem paga, dez por cento mais bem equipada e mais motivada. Imaginem as pensões que se podiam actualizar. Imaginem todo esse dinheiro bem gerido. Imaginem IRC, IRS e IVA a descerem dez por cento também e a economia a soltar-se à velocidade de mais dez por cento em fábricas, lojas, ateliers, teatros, cinemas, estúdios, cafés, restaurantes e jardins.

Imaginem que o inédito acto de gestão de Fernando Pinto, da TAP, de baixar dez por cento as remunerações do seu Conselho de Administração nesta altura de crise na TAP, no país e no Mundo é seguido pelas outras setenta e sete empresas públicas em Portugal. Imaginem que a histórica decisão de Fernando Pinto de reduzir em dez por cento os prémios de gestão, independentemente dos resultados serem bons ou maus, é seguida pelas outras empresas públicas.

Imaginem que é seguida por aquelas que distribuem prémios quando dão prejuízo. Imaginem que país podíamos ser se o fizéssemos. Imaginem que país seremos se não o fizermos."