sexta-feira, dezembro 31, 2010

quarta-feira, dezembro 29, 2010

HEIL SÓCRATES


A partir de dia 1 só continua isento quem não receber mais que o SMN
Parte dos desempregados e pensionistas perdem isenção de taxas moderadoras na saúde
29.12.2010 - 09:50 Por PÚBLICO

Só os desempregados que recebam um subsídio de desemprego não superior ao salário mínimo nacional vão manter, a partir do início de 2011, direito à isenção de taxas moderadoras na saúde.

Está reposta a justiça! Agora a "bandidagem" que ganha 486€ mensais já paga como os outros cidadãos, igualmente "ricos". Tomem lá idosos, desempregados e pensionistas!

Heil Sócrates (e restantes "Donos de Portugal")!

sexta-feira, dezembro 10, 2010

WIKILEAKS 2


WikiLeaks: Gebuza e Chissano financiados pelo narcotráfico.
Telegramas da embaixada norte-americana em Maputo, divulgados pelo WikiLeaks, revelam que Presidente  moçambicano, Armando Emílio Guebuza, e antecessor Joaquim Chissano estão envolvidos com o narcotráfico. Clique para visitar o dossiê WikiLeaks
Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt), Agências
6:05 Quinta feira, 9 de Dezembro de 2010

Para mim, a WikiLeaks só terá credibilidade quando conseguir entrar nos meandros do futebol português!

quinta-feira, dezembro 09, 2010

EUROSKILLS - CAMPEONATO DAS PROFISSÕES



Lisboa capital do talento
02.12.2010
Lisboa prepara-se para ser capital europeia das profissões durante quatro dias. A cidade acolhe de 9 a 12 de dezembro, na Feira Internacional de Lisboa (FIL) no Parque das Nações, o Euroskills 2010 - Campeonato Europeu das Profissões. O evento está a ser preparado há dois anos e trará a Portugal 468 jovens oriundos de 27 países, prontos a competir e demonstrar a sua qualidade profissional. (…)
Euroskills em números
. 468 candidatos
. 51 profissões em competição
. 340 jurados nacionais e europeus
. 56 chefes de oficina para apoiar as especificações técnicas de cada competição
. 14 profissões em demonstração no “Experimenta uma Profissão” 
. 27 países participantes
. 320 voluntários de apoio à organização 
. 60 empresas nacionais e multinacionais envolvidas na promoção e patrocínio
. 9 mil horas de competição
. 50 mil metros quadrados de área de competição
. 50 mil visitantes esperados"

Visitei hoje este evento, no dia da abertura. A FIL “fervilhava” de juventude e foi interessante verificar que os Centros de Formação Profissional estão a ensinar a estes mesmos jovens profissões com grande probabilidade de lhes garantir emprego, tais como: ourivesaria, calceteiro, técnico de electrónica, electricista, fresador, mecânico, condutor de pesados, hotelaria, etc.
Vale a pena visitar!


quarta-feira, dezembro 08, 2010

NÃO HÁ SERVIÇOS MÍNIMOS



Controladores aéreos espanhóis comparecem mas recusam-se a trabalhar.


GUERRA É GUERRA!

NA MÉDIA


Portugal entrou na média da OCDE a Português, Ciências e Matemática

Estas notícias são sempre boas, mas atenção que passámos a estar na média, isto é, passámos de maus a razoáveis. Agora era bom que ultrapassássemos a média.
Mas teria de ser com a ajuda dos pais, professores e explicadores, porque o governo só tem atrapalhado!

sexta-feira, dezembro 03, 2010

DIZEM


Dizem que este soldado apareceu morto 2 dias depois do discurso. Dizem que a autópsia revelou ter sido um ataque cardíaco.
Dizem ...

quinta-feira, dezembro 02, 2010

ET PHONE HOME?


NASA faz subir expectativas sobre descoberta de vida extraterrestre.

A NASA, agência espacial norte-americana, promete revelar esta tarde em conferência de imprensa em Washington uma descoberta que, diz, “terá impacto da procura de provas de vida extraterrestre”.
De acordo com um comunicado da agência espacial, a conferência – realizada às 14h00 locais (19h00 em Lisboa) - será dedicada à astrobiologia, ou seja, o estudo da origem, evolução, distribuição e futuro da vida no universo.
Participarão na conferência Mary Voytek, director do Programa de Astrobiologia, Felisa Wolfe-Simon, investigadora da NASA em astrobiologia, Pamela Conrad, astrobióloga no Centro de Voos Espaciais Goddard, Steven Benner, da Fundação para a Evolução Molecular Aplicada (Gainesville) e James Elser, da Universidade estatal do Arizona.
Perante o anúncio da NASA, os amantes do espaço e de extraterrestres já inundaram a blogosfera com especulações sobre o alcance das revelações. Uma das possibilidades avançadas na Internet seria o anúncio da descoberta de vida numa das luas de Saturno. Mas a NASA recusou-se a dar mais detalhes sobre o que vai revelar.
02.12.2010 - 09:41 Por PÚBLICO
http://publico.clix.pt/Ci%C3%AAncias/nasa-faz-subir-expectativas-sobre-descoberta-de-vida-extraterrestre_1469082

segunda-feira, novembro 29, 2010

HERÓIS DO MAR - FRACO POVO


“Fui grandemente surpreendida com as medidas de austeridade que o governo despachou para fazer frente à situação económica actual do país. Acho uma medida sensata! E confesso que, se vivesse em Portugal, não participava na greve, por considerar esta solução correcta - paguem os que mais recebem. Mas qual não foi o meu espanto, ao ler a aprovação ao regime de excepções aos cortes salariais. Mas que politica é esta? Será que em Portugal não há políticos honestos? Será que esta gente não vê a necessidade que há em limpar a sua reputação? Nem para isso já se dão ao luxo, roubar à descarada, sem a mínima preocupação em esconder as manobras do roubanço - com o povo que regem, não é de admirar!

Que gente estranha! Fazem greve quando os que mais ganham, têm que abdicar de uma parte do seu ordenado, mas ninguém pia quando é decidido que há excepções para os "criadores" deste regulamento. É mesmo uma República das Bananas, mas não pelo facto da classe política ser corrupta, mas mais por serem um povo de bananas - Heróis no mar e cobardes na Terra.”

Comentário de uma imigrante portuguesa na Alemanha.

WIKILEAKS


Revelações do WikiLeaks criam um "11 de setembro diplomático"
De Gabriela Calotti (AFP) – Há 1 hora
PARÍS — Os segredos da diplomacia americana, da espionagem dentro da ONU e dos principais dirigentes do mundo, foram revelados neste domingo pela publicação através do site Wikileaks de 250.000 documentos que ameaçam provocar uma crise diplomática mundial.
O WikiLeaks divulgou por meio de cinco jornais de referência mundial "250.000 documentos que desnudam a visão que os Estados Unidos têm do mundo", afirma uma destas publicações, o britânico The Guardian.
"O maior vazamento da história", como classifica nesta segunda-feira o jornal espanhol El País, as mais de 251.000 notas diplomáticas que, entre 2004 e 2010, foram trocadas entre o Departamento de Estado e inúmeras embaixadas, e que começaram a ser publicadas no domingo pelas versões eletrônicas do New York Times (Estados Unidos), Le Monde (França), El País (Espanha), The Guardian (Grã-Bretanha) e Der Spiegel (Alemanha).
Os documentos foram analisados por 120 jornalistas das cinco publicações, que consideraram que sua "missão era colocá-los à disposição dos leitores".
As postagens do Wikileaks indicam que os Estados Unidos ordenaram a seus diplomatas que atuassem mais ativamente no recolhimento de informações e realizassem tarefas de espionagem e também revelam as opiniões americanas sobre os líderes estrangeiros, além dos pedidos da Arábia Saudita para que o Irã fosse atacado por causa de seu programa nuclear.
Os documentos afirmam que os funcionários do Departamento de Estado tinham ordem de obter informações pessoais de altos funcionários da ONU e figuras-chaves de países em todo o mundo.
Os textos se referem a tarefas tradicionalmente reservadas à Agência Central de Inteligência (CIA) e outras agências de espionagem, que foram transmitidos a embaixadas americanas na África, Oriente Médio, Europa Oriental, América Latina e a missão de Washington ante a ONU.
Um dos documentos, por exemplo, enviado aos diplomatas em nome da secretária de Estado Hillary Clinton, em julho de 2009, ordena que sejam obtidos detalhes técnicos dos sistemas de comunicação dos principais funcionários da ONU, indica The Guardian.
Isso inclui palavras-chave e códigos de encriptação pessoais utilizados em redes comerciais e privadas para comunicações oficiais.
O New York Times indica que um documento assinado por Hillary pede a seus funcionários na ONU que obtenham "informação biográfica e biométrica dos principais diplomatas a Coreia do Norte".
The Guardian acrescenta que a ordem também visava ao recolhimento de dados do secretário-geral Ban Ki-moon, em especial sobre "seu estilo de gerenciamento e tomada de decisões, além de sua influência sobre o secretariado".
Washington também pede os números dos cartões de crédito, endereços eletrônicos, números de telefone, fax e, inclusive, as contas de passagens aéreas dos altos funcionários das Nações Unidas.
A ordem secreta para obter "inteligência humana nacional" foi enviada às missões dos Estados Unidos na ONU, Viena, Roma e 33 embaixadas e consulados.
As Nações Unidas anunciaram horas depois, em um comunicado, que "não se encontram em posição de comentar sobre a autenticidade dos documentos".
De qualquer maneira, disse confiar que os Estados membros respeitem a imunidade garantida à organização mundial.
Entre outros temas delicados, os documentos vazados pelo Wikileaks revelam, por exemplo, que o rei Abdullah da Arábia Saudita teria pedido aos Estados Unidos que ataquem o Irã para destruir o programa nuclear iraniano.
O monarca saudita teria solicitado que os Estados Unidos "cortassem a cabeça da serpente" e afirmou que trabalhar com Washington para contrabalançar a influência iraniana no Iraque era "uma prioridade estratégica para o rei e seu governo".
Segundo outro documento, Israel teria pressionado os Estados Unidos a adotar uma posição mais firme com relação ao Irã em dezembro de 2009, ao afirmar que a estratégia americana de negociação com Teerã "não funcionava".
As revelações também dizem respeito ao que os Estados Unidos pensariam dos principais líderes mundiais. O chefe de Estado italiano, Silvio Berlusconi, por exemplo, é considerado irresponsável, e suas colega alemã, a chanceler Angela Merkel, "pouco adepta dos riscos e raramente criativa".
Outros funcionários descrevem o presidente francês Nicolas Sarkozy como "suscetível autoritário" e afirmam que o presidente afegão Hamid Karzai é "extremamente fraco".
As suspeitas sobre uma possível presença da Al-Qaeda na "tríplice fronteira" entre Brasil, Paraguai e Argentina, a decisão de isolar o presidente venezuelano Hugo Chávez e as "suspeitas" em Washington a respeito da presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, são os primeiros assuntos sobre a América Latina revelados por estas notas diplomáticas.
Segundo o The Guardian, Washington pediu em 2008 a seus diplomatas que investigassem a possível presença da Al-Qaeda e de outros "grupos terroristas" islamitas na "tríplice fronteira". A região tem muitos imigrantes de países árabes e é cenário de uma arrecadação de fundos para organizações como o Hezbollah libanês ou o Hamas palestino, e está na mira desde o atentado de 1994 contra a mutual judaica AMIA de Buenos Aires (85 mortos).
O jornal El País revela os esforços americanos para "isolar" Chávez, sobre quem um conselheiro diplomático do presidente francês Nicolas Sarkozy afirmou que "está louco".
Hillary Clinton chega a solicitar informações sobre a saúde mental da presidente argentina, que desperta "suspeitas" e, Washington, indicam as notas.
Numa primeira reação, a Casa Branca condenou "nos termos mais fortes a publicação irresponsável e perigosa" desses documentos, afirmando que a iniciativa do WikiLeaks poderá fazer com que muitas pessoas corram riscos mortais.
"Que isto fique claro: tais revelações fazem nossos diplomatas correrem riscos", afirmou o porta-voz do presidente Barack Obama, Robert Gibbs.
Além disso, Londres, Paris, Berlim, Bruxelas e Roma condenaram a publicação "irresponsável e perigosa desses documentos", que, segundo Le Monde e The Guardian "estão desatando uma crise diplomática mundial", cujo impacto foi resumido pelo chanceler italiano, Franco Frattini: "É um 11 de setembro para a diplomacia mundial".
Copyright © 2010 AFP. Todos os direitos reservados.

quinta-feira, novembro 25, 2010

O ESPELHO


Precisa-se de matéria-prima para construir um País

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve.
O que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.
O problema está em nós. Nós como povo.

Nós como matéria-prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a esperteza é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.
Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal e se tira um só jornal deixando-se os demais onde estão. 


Pertenço ao país onde as empresas privadas são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos ….e para eles mesmos.


Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.


Pertenço a um país:

– Onde a falta de pontualidade é um hábito;
– Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.
– Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos.
– Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.
– Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é ‘muito chato ter que ler’) e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.
– Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame.

– Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar.
– Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão.
– Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a
criticar os nossos governantes.
– Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.
– Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.


Não. Não. Não. Já basta.

Como "matéria prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.


Esses defeitos, essa “chico-espertice portuguesa” congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós,


eleitos por nós. Nascidos aqui, não noutra parte…


Fico triste.
Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria-prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada…
Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.


Qual é a alternativa?
Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?



Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados….igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda…


Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um Messias.


Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.


Está muito claro… Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:
Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, tolerantes com o fracasso.


É a indústria da desculpa e da estupidez.
Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.


Sim, decidi procurar o responsável e estou seguro de que o encontrarei
Quando me olhar ao espelho.
Aí está. Não preciso de procurá-lo noutro lado.


Último artigo de Eduardo Prado Coelho no Público.

quarta-feira, novembro 24, 2010

EU SOU UM BOI


ESTE POVO NÃO PRESTA!
Acabava de entrar o ano de 1872. E o novo ano que chegava interrogava o ano velho. "'-Fale-me agora do povo", pedia o novo ano. E o velho: “-É um boi que em Portugal se julga um animal muito livre, porque lhe não montam na anca; e o desgraçado não se lembra da canga!” -"Mas esse povo nunca se revolta?" insistia o ano novo, espantada £ respondia o velho: “-O povo às vezes tem-se revoltado por conta alheia. Por conta própria, nunca" E uma derradeira questão:"- Em resumo, qual é a sua opinião sobre Portugal?" E a resposta lapidar do ano velho:"- Um pais geralmente corrompido, em que aqueles mesmos que sofrem não se indignam por sofrer”. Este diálogo deve-se a Eça de Queirós. O mesmo Eça que escreveu sobre o Portugal de então: "O povo paga e reza. Paga para ter ministros que não governam, deputados que não legislam (...) e padres que rezam contra ele. (...) Paga tudo, paga para tudo. E em recompensa, dão-lhe uma farsa" Estávamos, repito, em 1872.
Estamos obviamente a falar do povo português. Esta "raça abjecta" congenitamente incapaz de que falava Oliveira Martins. Este povo cretinizado, obtuso, que se arrasta submisso, sem um lamento, sem um queixume, sem um gesto de insubmissão, tão pouco de indignação e muito menos de revolta. Um povo que se deixa conduzir passivamente por mentirosos compulsivos como Sócrates ou Passos Coelho ou por inutilidades ignorantes como Cavaco Silva, não merece mais que um gesto de comiseração e de desdém. É vê-los nas televisões, por exemplo, filas e filas de gente acomodada, cabisbaixa, servil absurdamente resignada, a pagar as estradas que a charlatanice dos políticos tinha jurado "que se pagavam a si mesmas"! Sem qualquer tipo de pejo e com indisfarçável escárnio, o Estado obriga-os a longas filas de espera para conseguirem comprar e pagar o aparelho que lhes vai possibilitar a única forma de pagar as portagens que essa corja de aldrabões agora no poder, se lembrou de inventar! E eles passam a noite inteira à espera, se preciso for. E lá vão depois, bovinamente, de chapéu na mão, a mendigar a senha redentora que lhes dará o "privilégio de serem esbulhados electrónica e quotidianamente pelo Estado”. Um povo assim não presta, não passa de uma amálgama amorfa de cobardes. Porque, se esta gentinha "os tivesse no sítio" recusar-se-ia massivamente a pagar as portagens. E isso seria o suficiente para que os planos governamentais ruíssem como um castelo de cartas. Mas não. Esta gente come e cala. Leva porrada e agradece. E a escumalha de medíocres que detém o poder, rejubila e escarnece desta populaça amodorrada e crassa que paga o que eles quiserem quando e como eles o definirem. Sem um espirro de protesto, sem um acto de revolta violenta, se preciso for. Pelo contrário. Paga tudo, paga para tudo. Sem rebuço, dóceis, de chapéu na mão, agradecidos e reverentes, como o poder tanto gosta. E demonstram-no publicamente, disso fazendo gala. Como eu vi, envergonhada a imagem de um homenzinho ostentando um sorriso desdentado e exibindo perante as câmaras da TV o aparelhinho que acabara de pagar, como se tivesse ganho uma medalha olímpica,
Esta multidão anestesiada espelha claramente o pais que somos e que, irremediavelmente, continuaremos a ser - um pais estúpido, pequeno e desgraçado. O "sítio" de que falava Eça, a "piolheira" a que se referia o rei D. Carlos. "Governado" pelas palavras "sábias" de Alípio Severo, o Conde de Abranhos, essa extraordinariamente actual criação queirosiana, que reflecte bem o segredo das democracias constitucionais. Dizia o Conde: "Eu, que sou governo, fraco mais hábil dou aparentemente a soberania ao povo Mas como a falta de educação o mantém na imbecilidade e o adormecimento da consciência o amolece na indiferença, faço-o exercer essa soberania em meu proveito..” Nem mais. Eis aqui o segredo da governação. A ilustração perfeita com que o rei D. Carlos nos definia há mais de um século: "Um país de bananas governado por sacanas". Ontem como hoje. O verdadeiro esplendor de Portugal.

 Luís Manuel Cunha (Professor), 27-10-2010 - Sinais dos Tempos - Jornal de Barcelos

SALVEM OS RICOS

terça-feira, novembro 23, 2010

AJUDA DE BERÇO

Esta instituição está em sérias dificuldades de continuar a sua missão social. Para ajudar a Ajuda de Berço a não fechar as portas, pode-se contribuir de várias formas, como por exemplo ligar para o 760300410 (chamada com o custo de 0,60€ “ para todas as redes ) . Eu já liguei.
http://www.ajudadeberco.pt/ab/?page_id=22