terça-feira, junho 24, 2008

Hipocrisia

Jaime Silva acusa CAP e CNA de radicalismo nos pedidos de ajuda
TSF Online, hoje às 10:09
O ministro da Agricultura disse, esta terça-feira, à entrada para o Conselho de Ministros da Agricultura da UE em Bruxelas, que parte dos dirigentes da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) navega na extrema-esquerda e na extrema-direita.

Isto é: “Ou estão comigo ou contra mim!”.
Já se está a atingir o desespero governativo. Até há pouco tempo todas as contestações à governação eram “obra” dos comunistas. Agora já são “obra” de “extremistas” de esquerda e de direita.
Qual será a desculpa seguinte? A contestação social irá ser obra dos “No Name Boys”, dos “Super Dragões” ou da “Juve Leo”?
E se mesmo depois de identificados todos estes “bodes expiatórios” a contestação social continuar? A culpa será assacada a quem? Ao “Tio Patinhas”? Ao “Incrível Hulk”? Ao “Dragon Ball”?

3 comentários:

Anónimo disse...

No artigo “Crise é um acessório que não se usa aqui” de Mariana Correia de Barros, publicado no Diário de Notícias, lê-se: “Mesmo caro, muito caro, na hora de comprar um produto de marca famoso, a emoção vence sempre a razão. O mercado do luxo, ao contrário de outros, está a viver dias de crescimento. Comprar uns sapatos que ultrapassam, por exemplo, a barreira dos mil euros é comprar uma emoção”. E se os 600 mil desempregados, os 2 milhões de pobres que não têm dinheiro que chegue para o pão e para o leite, e a quem é pedido um “esforço nacional para suportar a crise”, um dia destes deixarem que “a emoção vença a razão” e começarem a assaltar os supermercados?

BV

blogador disse...

Já estivemos mais longe de ter uma situação económico social semelhante à dos países em que não têm classe média, onde só existem muito ricos e pobres.

Anónimo disse...

TODOS À RUA! O PROTESTO É GERAL!
Sábado, 28 de Junho
Acção geral de protesto e luta contra o novo código do trabalho
É preciso travar o ataque aos direitos dos trabalhadores
Porto, 15:30h, Praça da Batalha . Lisboa, 15:00 Largo Camões

BV