quinta-feira, maio 28, 2009

OS MENINOS À VOLTA DA FOGUEIRA

Miúdos falsificam BI para sair à noite

A prática, bem escondida dos pais, é corrente entre os adolescentes. Já há processos em tribunal.

Joana Pereira Bastos

22:35 Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Têm 12, 13, 14 ou 15 anos, mas no Bilhete de Identidade todos nasceram em 1992, um ano que funciona como uma espécie de livre-trânsito para sair à noite e lhes dá luz verde para beberem o que quiserem. Sem chatices e sem perguntas. Aos olhos de qualquer porteiro, já têm 16.

Tudo graças à falsificação do BI, um segredo bem guardado, cuidadosamente escondido de pais, professores e autoridades, mas partilhado por quase todos os adolescentes. A alteração da data de nascimento é hoje uma prática corrente entre os miúdos, que dizem ser "super básico" forjar o documento para poderem entrar em discotecas.

"É bué fácil e faz-se em menos de 20 minutos. Digitalizamos o BI e mudamos a data de nascimento com um programa de edição de imagem tão básico como o Paint. Depois é só imprimir e passa como uma fotocópia verdadeira. Não se nota nada", explica Luís, de 14 anos, aluno do 8º ano num conhecido colégio privado de Lisboa. (...)

Texto publicado na edição do Expresso de 23 de Maio de 2009

Todas as novas gerações são diferentes das anteriores. Os jovens tentam criar rupturas “passar os limites” fazerem o que é proibido. É de alguma forma legítimo, pois é assim também que criam ideais e novos valores para a sociedade.

Mas de facto tem de haver limites; a começar pelos limites da democracia e a acabar nos perigos para a própria saúde e aqui os adultos, ou seja, os responsáveis pelos jovens, não podem excluir-se ou alhear-se, seja por que razão for, da educação e dos actos por estes praticados. Infelizmente, por várias razões, é o que mais se vê actualmente na sociedade portuguesa.

Eu defendo portanto cada vez mais, que as responsabilidades e sanções decorrentes de crimes e outras penalidades cometidas por jovens, menores de idade, sejam parcialmente divididos com os pais.

4 comentários:

Anónimo disse...

O BLOGADOR ESTÁ A FICAR VELHO.

XL

BLOGADOR disse...

Em parte é verdade. Estou a ficar mais conservador com o aumento da idade, como acontece com a grande maioria das pessoas.
Por outro lado não é tão verdade. Isto porque sou professor de uma população escolar que ronda estas idades e sei que o que é noticiado é verdade. Mais, consigo perceber que o grande problema da maioria desta população prende-se com a falta de orientação por parte dos pais (falta de tempo, falta de cultura, falta de educação, falta de interesse, falta de capacidade para impor autoridade, etc.). Os pais são os primeiros a pedir à escola e aos professores que imponham respeito aos filhos porque já não conseguem fazer nada deles.
O paradigma da escola tem de ser alterado e começa com uma maior responsabilização por parte dos pais. Não é por acaso que os melhores alunos são em maioria os que têm uma boa estrutura familiar com regras, direitos e deveres bem definidos.
Abraço XL.

Kim disse...

Eu não digo nada porque não estou a ficar velho. Já sou!
Abraço Rui!

jrom disse...

Eu consigo ver um lado positivo.
è uma forma de dar uso a alguns subsídios de inserção social e também mantém estes empregos da venda de alcool mais fiáveis.
É bom para a economia.
O ti Toino também não gostava que a malta aprendesse muito.